Viver é Lutar com o Mutirão

Cartilhas como instrumento de ação no Movimento de Educação de Base (1962 – 1965)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/ae.v15i00.1168

Palavras-chave:

História da educação, Escolas radiofônicas, Cartilha de alfabetização

Resumo

Esse artigo tem como objetivo analisar os conteúdos das cartilhas Viver é Lutar e Mutirão, criadas em 1963 e 1965, respectivamente, averiguando como o período histórico influenciaram no modo em que essas cartilhas foram escritas. O Movimento de Educação de Base (MEB) foi criado em 1961 com a proposta de alfabetizar jovens e adultos das áreas rurais. Como suporte, o MEB utilizava as cartilhas para auxiliar no processo de ensino e politização dos alunos, já que através das investigações de mundo, era possível perceber a necessidade de tomada de consciência crítica dos homens e mulheres por meio da problematização da sociedade. No que se refere à metodologia utilizada nesta produção, destacamos que nos ancoramos na pesquisa histórico-documental, tendo como fontes principais as cartilhas citadas. Como aporte teórico, nos baseamos nos escritos de Freire (1967) e Fávero (1983), que são as principais bases desta pesquisa. Como resultados principais, destacamos que foi possível concluir que as cartilhas tiveram sua devida importância no período em que foram escritas, sendo reflexo histórico das necessidades da sociedade nos anos de 1960 ao serem utilizadas como instrumentos de ensino e politização dos atores envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Sthephanny Martins Gomes, Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju – SE – Brasil

Mestre em Educação.

Indayane Gomes da Silva, Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju – SE – Brasil

Mestranda em Educação.

Cristiano Ferronato, Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju – SE – Brasil

Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (UFPB).

Referências

FÁVERO, O. (org.). Cultura popular, educação popular: Memória dos anos 60. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1967.

KADT, E. Católicos radicais no Brasil. Brasília, DF: UNESCO; MEC, 2007.

MEB. Movimento de Educação de Base. Cartilha Mutirão: 2º livro de leitura. 1965. Disponível em: https://forumeja.org.br/files/mutirao2_pdf.pdf. Acesso em: 08 set. 2021.

MEB. Movimento de Educação de Base. Cartilha Viver é Lutar: 2º livro de leitura para adultos. 1963. Disponível em: http://www4.pucsp.br/cedic/meb/nas-salas-de-aula/arquivos-pdf/2-2-cartilha-viver-lutar.pdf. Acesso em: 08 set. 2021.

MEB. Movimento de Educação de Base. Relatório Anual: 1963. Fundo do MEB. Acervo CEDIC. 1963.

MEB. Movimento de Educação de Base. Relatório Anual: 1964. Fundo do MEB. Acervo CEDIC. 1964.

MEB. Movimento de Educação de Base. Relatório Anual: 1966. Fundo do MEB. Acervo CEDIC. 1966.

NASCIMENTO, A. F. Fundamentos histórico educacionais do movimento de educação de base (MEB) e do movimento de cultura popular (MCP) em sergipe, no período de 1958 a 1964. 2020. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Tiradentes, Aracaju, 2020. Disponível em: https://mestrados.unit.br/pped/wp-content/uploads/sites/2/2021/01/Tese-Revisao-Final-Acacio.pdf. Acesso em: 11 ago. 2021.

Publicado

2022-12-29

Como Citar

Gomes, B. S. M., Silva, I. G. da, & Ferronato, C. (2022). Viver é Lutar com o Mutirão: Cartilhas como instrumento de ação no Movimento de Educação de Base (1962 – 1965). Revista @mbienteeducação, 15(00), e022026. https://doi.org/10.26843/ae.v15i00.1168

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)