A participação das crianças em contexto educativo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/v14.n3.2021.1140.p745-761

Palavras-chave:

Implicação. Participação. Educação pré-escolar.

Resumo

Atualmente é frequente ouvirmos falar da participação das crianças nos contextos educativos, contudo, verifica-se que nem sempre é fácil encontrar a concretização deste princípio, pelo que se torna fundamental reafirmar a compreensão das crianças como sujeitos que pertencem a um grupo social, capazes de partilharem as suas opiniões, de debaterem as opiniões dos outros e de tomarem decisões em aspetos da sua vida. O presente texto sustenta-se num estudo acerca desta temática, realizado no estágio final de um mestrado, baseado em observação participante e reflexiva de um grupo heterogéneo de crianças em idade pré-escolar, o qual nos permitiu analisar situações em que se puderam, por um lado, identificar entraves à participação das crianças e, por outro, potenciar novas oportunidades para a sua efetivação. A participação infantil implica a escuta atenta das crianças, reconhecendo e dando sentido ao que as mesmas dizem. A aceitação pelo adulto de que a criança é um sujeito capaz de tomar decisões, escolher e dar opiniões, faz com que este adapte as suas práticas educativas promovendo situações de aprendizagem reais e mais significativas. No desenvolvimento do estudo foi utilizada uma escala de análise da qualidade do contexto referente à implicação da criança (PORTUGAL; LAEVERS, 2010, p. 24), uma vez que esta ajuda o educador a questionar-se acerca da pertinência das atividades, ajudando-o a colocar-se no lugar das crianças, tendo que ter em conta os indicadores de envolvimento, como a concentração nas atividades, a energia, a persistência, entre outros. O texto apresentará as condições de realização do estágio, bem como a fundamentação teórica do estudo, e a descrição e análise do projeto decorrente do processo de investigação que acompanhou toda a intervenção pedagógica. Para além disto, serão abordados contributos centrais desta experiência para a construção da identidade profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Isabel Fernandes, Professora do 1.º Ciclo do Ensino Básico

Possui Mestrado em Educação Pré-escolar e Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Teresa Sarmento, Universidade do Minho, Portugal

Iniciou a sua atividade profissional como Educadora de Infância (1978), tendo prosseguido estudos na Universidade do Minho com a realização da Licenciatura em Ensino de História e Ciências Sociais (1987) e, posteriormente a realização do Doutoramento em Estudos da Criança (2000), com uma investigação qualitativa em identidades profissionais. Atualmente é Professora Auxiliar no Instituto de Educação ? Universidade do Minho, pertencente ao Departamento de Ciências Sociais da Educação e ao Centro de Investigação em Estudos da Criança, onde se tem dedicado à docência na graduação e pós-graduação de professores, bem como à investigação sobre as problemáticas da formação de professores, histórias de vida de profissionais da educação, da organização escolar e da relação escola-famílias-comunidades. Em termos de metodologias de educação é especialista em métodos biográficos. ? Diretora do Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1ºCiclo, tendo coordenado, a nível da UM, os três processos de acreditação e avaliação dos cursos da formação de educadores de infância (2002, 2005, 2012), os quais ficaram sempre em primeiro lugar a nível nacional. ? perita externa em estudos sobre condições de género a nível da União Europeia. Presentemente está a realizar em cooperação os documentos preparatórios do enquadramento jurídico da educação pré-escolar em São Tomé e Príncipe. Os seus estudos estão publicados em múltiplas revistas científicas e livros, a nível nacional e estrangeiro (Brasil, Letónia, Inglaterra, Espanha, Hong Kong).

Referências

AGOSTINHO, K. A. O direito à participação das crianças na Educação Infantil. Educativa, Goiânia, v. 16, n. 2, p. 229-244, 2013.

AGOSTINHO, K. A.; DEM? TRIO, R.; BUDENM? LLER, S. Participação infantil: a busca por uma relação democrática entre crianças e adultos. Zero-a-seis, v. 7, n. 32, p. 224-239, 2015.

BERTRAM, T.; PASCAL, C. Manual DQP: Desenvolvendo a Qualidade em Parceria. Oliveira-Formosinho, J. Trad. Lisboa: Ministério da Educação/ Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, 2009.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

CORSARO, W. A. Sociologia da infância. Tradução de Lia Gabriele Regius Reis. São Paulo: Artmed, 2011.

ELIAS, N. O processo civilizador: Uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1994. v. 1.

FERNANDES, N. Infância, Direitos e Participação. Representações, Práticas e Poderes. Porto: Edições Afrontamento, 2009.

FOUCAULT, M. O Sujeito e o Poder. In: DREYFUS, H.; RABINOW, P. (org.). Michel Foucault: Uma Trajetória Filosófica - para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. p. 231-249.

KRAMER, S. Autoria e autorização: questões éticas na pesquisa com crianças. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 116, p. 41-49, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/n116/14398.pdf. Acesso em: 20 nov. 2020.

MALAVASI, L; ZOCCATELLI, B. Documentar os projetos nos serviços educativos. Lisboa: APEI - Associação de Profissionais de Educação de Infância, 2013.

MAYAL, B. Towards a sociology for childhood. Thinking from children? s lives. Buckingham: Open University Press, 2002.

MOSS, P. La democrazia in educazione. Revista Bambini Azzano, San Paolo, Itália, Edizione Júnior, 2008.

PORTUGAL, G.; LAEVERS, F. Avaliação em Educação Pré-escolar. Sistema de acompanhamento das Crianças. Porto: Porto Editora, 2011. (Coleção NOVA CIDInE)

ROCHA, C.; FERREIRA, M. As crianças na escola e a reconstituição do seu ofício como alunos/as - análise da produção académica nacional (1995-2005): campos disciplinares, instituições e tamáticas: comparências, ausências e prelúdios. Investigar em Educação, v. 6/7, p. 17-127, 2008.

SARMENTO T.; SOARES; T. Políticas Públicas e Participação Infantil. Educação, Sociedade e Culturas, n. 25, p. 183-206, 2007.

SARMENTO, T.; OLIVEIRA, M. Investigar com as crianças: das narrativas à construção de conhecimento sobre si e sobre o outro. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 5, n. 15, p. 1121-1135, 2020.

SAVE THE CHILDREN. A participação de crianças na Programação OCV: 1ª página de Recurso: Modelos da Participação de Crianças. In: HART, R. Participação de Crianças: Da indicação Falsa até Cidadania. UNICEF, 1992. p. 1-3. Disponível em: https://ovcsupport.org/wp-content/uploads/Documents/Childrens_Participation_in_OVC_Programming_Resource_sheet_2_Models_of_child_participation_in_community_based_OVC_care_1.pdf. Acesso em: 10 jun. 2021.

SILVA, I. et al. Orientações curriculares para a educação pré-escolar. Lisboa: Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE), 2016.

TOMÁS, C.; SOARES, N. F. Infância, Protagonismo e Cidadania: contributos para uma análise sociológica da cidadania da infância. Forum Sociológico, n. 11/ 12, p. 349-361, 2004.

VEIGA, R.; FERREIRA, M. Entre as práticas pedagógicas e as culturas infantis: contributo para a compreensão da participação das crianças em um jardim de infância. Caderno de Estudos Sociais, v. 32, n. 2, p. 1-29, 2017.

VYGOTSKY, L. Mind in society: the development high psychologucal processes. Cambridge MA: Harvard University Press, 1978.

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Isabel Fernandes, A., & Sarmento, T. (2021). A participação das crianças em contexto educativo. Revista @mbienteeducação, 14(3), 745–761. https://doi.org/10.26843/v14.n3.2021.1140.p745-761

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)