A BNCC como mecanismo de controle da educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/v14.n3.2021.1119.p700-730

Palavras-chave:

Políticas de currículo. Base Nacional Comum Curricular. Ciclos de política. Representações sociais.

Resumo

Este texto, resultado de pesquisa de Doutorado em Educação, que tratou do processo de implantação da BNCC, tem por objetivo analisar os contextos de sua formulação, em dois enfoques, destacando: 1º o processo de elaboração das recentes políticas educacionais brasileiras; e 2º os discursos sobre a BNCC, que circularam na mídia durante as audiências públicas do CNE. A abordagem teórico-metodológica se fundamenta no campo da sociologia política e da psicologia social. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cujos dados foram analisados a partir das dimensões do contexto de produção do texto político, realizando-se uma análise documental dos textos que geraram o PNE, e do contexto de influência, quando se realizou a análise temática de produções orais obtidas em audiências públicas do CNE e de análise reflexiva do conteúdo de artigos jornalísticos. Os resultados demonstraram, de um lado, que os anseios sociais de busca da qualidade educacional foram frustrados, visto ter se concretizado uma visão tecnocrática e de ênfase nos mecanismos de controle na versão homologada do documento; e, de outro, que as fundações empresariais pressionaram o CNE pela aprovação da BNCC por meio de discursos persuasivos, contrariando os alertas da comunidade acadêmica sobre as fragilidades do texto da BNCC. Os dados corroboram para a ideia defendida na tese de que é preciso entender como o conhecimento sobre a política é gerado, para que os efeitos, causados pelo conhecimento produzido por estas mesmas políticas, possam ser compreendidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Maria Emilio, UNIVERSIDADE CAT? LICA DE SANTOS

Doutora e Mestre em Educação, com especialização Língua e Literatura Portuguesa e graduação em Letras e Pedagogia. Exerceu função docente da educação básica em redes municipais, estaduais e privadas de ensino durante 30 anos e atualmente exerce a função de Supervisora de Ensino. Atuou como Avaliadora Educacional SASE/MEC e como professora universitária no curso regular de Pedagogia e pela PARFOR. Foi membro da Conselho Municipal de Educação de Guarujá, do Fórum Estadual de Educação do Estado de São Paulo e do Fórum Estadual de Formação de Professores do Estado de São Paulo. Coordenou as Conferências Intermunicipais de Educação Baixada Santista-CONAE 2014 e CONEPE/2021; Conferências Municipais de Educação de Guarujá, em 2011; 2013 e 2017 e o Fórum Municipal de Educação de Guarujá, nos períodos de 2011-2012 e 2018-2021. 

Maria de Fátima Barbosa Abdalla, Universidade Católica de Santos

Maria de Fátima Barbosa Abdalla é doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo/FEUSP. Pós-doutora em Psicologia da Educação pela PUC/SP. Professora do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica de Santos. Líder do Grupo de Pesquisa/CNPq ? Instituições de Ensino: políticas e práticas pedagógicas? ?. Membro da diretoria da ANFOPE e pesquisadora associada ao Centro Internacional de Estudos sobre Representações Sociais e Subjetividade em Educação/CIERS-Ed da Fundação Carlos Chagas/FCC ? Cátedra UNESCO de Profissionalização Docente. 

Referências

ABDALLA, M. F. B.; DINIZ-PEREIRA, J. E. Pesquisas sobre formação de professores: diferentes olhares, múltiplas perspectivas. Formação em Movimento, v. 2, n. 4, p. 336-359, jul./dez. 2020.

AGUIAR, M. A. S. Relato da resistência à instituição da BNCC pelo Conselho Nacional de Educação mediante pedido de vista e declarações de votos. In: AGUIAR, M. A. S.; DOURADO, L. F. (org.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. Recife: ANPAE, 2018.

BALL, S. What is policy? Texts, trajectories and toolboxes, Discourse: Studies in the Cultural Politics of Education, London, v. 13, n. 2, p. 10-17, 1993.

BALL, St. Sociologia das políticas educacionais e pesquisa crítico-social: uma revisão pessoal das políticas educacionais e da pesquisa em política educacional. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, p. 10-32, jul./dez. 2006.

BALL, S.; MAGUIRE, M.; BRAUN, A. How schools do policy: policy enactments in secondary schools. London: Routledge, 2012.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3 ed. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2004.

BAZZO, V.; SCHEIBE, L. De volta para o futuro... retrocessos na atual política de formação docente. Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 27, p. 669-684, set./dez. 2019.

BOWE, R.; BALL, S.; GOLD, A. Reforming education and changing schools: case studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

BRASIL. Lei n. 9.131, de 24 de novembro de 1995. Altera dispositivos da Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961, e dá outras providências. Brasília, DF: Casa Civil, 25 nov.1995. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9131.htm. Acesso em: 10 maio 2018.

BRASIL. PL n. 8.035/2010. Projeto de Lei do Plano Nacional de Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2010. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoes Web/prop_mostrarintegra;jsessionid=01BCA170B3895AC061BDC9769BA81E28.proposicoesWebExterno1?codteor=831421&filename=PL+8035/2010. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Sugestões de propostas de emendas ao PNE. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2012a. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/ce/plano-nacional-de-educacao/sugestoes-de-propostas-de-emendas-ao-pne. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Cedes apresenta emendas ao PNE - PL n° 8.035/10. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2012b. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/ce/plano-nacional-de-educacao/emendas-cedes. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL. PL 8.035-C/2010. Substitutivo ao Projeto de Lei da Câmara n° 103/2012. Brasília, DF: Senado Federal, 2013. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-temporarias/especiais/54a-legislatura/pl-8035-10-plano-nacional-de-educacao/documentos/outros-documentos/avulso-pl-8035-10-c. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Brasília, DF: Casa Civil, 26 jun. 2014a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 15 out. 2018.

BRASIL. Planejando a Próxima Década. Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação/Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/SASE), 2014b. Disponível em:http://pne.mec.gov.br/images/pdf/pne_ conhecendo_20_metas.pdf. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL. Parecer ao Substitutivo do Senado. Brasília, DF: Comissão Especial da Câmara dos Deputados, 2014c. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-temporarias/especiais/54a-legislatura/pl-8035-10-plano-nacional-de-educacao/arquivos/parecer-do-relator-do-dep-angelo-vanhoni-ao-substitutivo-do-senado-pl-8035-c-2010. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL. Ata da 49ª Reunião Ordinária, realizada em 23 de abril de 2014. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2014d. Disponível em: http://www.camara.leg .br/internet/ordemdodia/integras/1249492.htm. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL. PL 8.035-D/2010. Relatório da Comissão Especial indicando alterações ao Substitutivo do Senado Federal. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2014e. Disponível em: http://www.camara.gov.br/sileg/integras/1216466.pdf. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL. Portaria n. 592, de 17 de junho de 2015. Institui Comissão de Especialistas para a Elaboração de Proposta da Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 18 jun. 2015. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=18/06/2015&jornal=1&pagina=16&totalArquivos=104. Acesso em: 15 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 22 de dezembro de 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 22 dez. 2017a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=79631-rcp002-17-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 15 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2017b. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 15 out. 2018.

CAMARGO, B. V.; JUSTO, A. M. IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, v. 21, n. 2, p. 513-518, 2013.

CARVALHO, J. M.; SILVA, S. K.; DELBONI, T. M. Z. G. F. A base nacional comum curricular e a produção biopolítica da educação como formação de ? capital humano? ?. Revista Científica e-Curriculum, v. 15, n. 2, p. 481-503, 2017.

CONAE. CONFER? NCIA NACIONAL DE EDUCA? ? O. Construindo o Sistema Nacional articulado de Educação: o Plano Nacional de Educação, diretrizes e estratégias. Documento Final. Brasília, DF: MEC, 2010. 164 p. Disponível em: http://conae.mec.gov.br/images/stories/pdf/pdf/documetos/documento_final.pdf. Acesso em: 10 jan. 2018.

CONAE. CONFER? NCIA NACIONAL DE EDUCA? ? O. O PNE na Articulação do Sistema Nacional de Educação: Participação Popular, Cooperação Federativa e Regime de Colaboração. Documento Referência. Brasília, DF: MEC, 2013. 96 p. Disponível em: http://conae2014.mec.gov.br/images/pdf/doc_referencia.pdf. Acesso em: 10 jan. 2018.

CONAE. CONFER? NCIA NACIONAL DE EDUCA? ? O. O PNE na Articulação do Sistema Nacional de Educação: Participação Popular, Cooperação Federativa e Regime de Colaboração. Documento Final. Brasília, DF: MEC, 2014. 114 p. Disponível em: http://fne.mec.gov.br/images/doc/DocumentoFinal240415.pdf. Acesso em: jan. 2018.

CURY, C. R. J.; REIS, M.; ZANARDI, T. A. C. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.

EMILIO, R. M. Base Nacional Comum Curricular: um estudo sobre o processo de implantação. 2020. Tese (Doutorado em Educação) ? Universidade Católica de Santos, São Paulo, 2020.

FRANGELLA, R. C. P. Formação de Professores em tempos de BNCC: um olhar a partir do campo do currículo. Formação em Movimento, v. 2, n. 4, p. 380-394, jul./dez. 2020.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2013.

LOPES, A. C. Por um currículo sem fundamentos. Linhas Críticas, v. 21, n. 45, p. 445-466, 2015.

MACEDO, E. Base Nacional Curricular Comum: novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para educação. Revista Científica e-Curriculum, v. 12, n. 3, p. 1530-1555, 2014.

MOSCOVICI, S. La Psychanalyse, son image et son public. Paris: PUF, 1961.

MOSCOVICI, S. Social Influence and Conformity. In: LINDZEY, G.; ARONSON, A. (Eds.). Handbook of Social Psychology. 3.ed. Nova York: Randon House, 1985. v. 2, p. 347-412.

MOSCOVICI, S. The history and actuality of social representations. In: FLICK, U. (Ed.). The Psychology of the Social. Cambridge: Cambridge University Press, 1998. p. 209-247.

MOSCOVICI, S. Representações Sociais: investigações em psicologia social. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

MOSCOVICI, S. Psicologia das minorias ativas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

MOSCOVICI, S. A psicanálise, sua imagem e seu público. Tradução Sonia Fuhrmann. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

PEREIRA, Talita Vidal; COSTA, Hugo Heleno Camilo; CUNHA, ? rika Virgílio Rodrigues da. Uma base à Base: quando o currículo precisa ser tudo. R. Educ. Públ., v. 24, n. 56, p. 455-469, 2015.

RATINAUD, P. IRAMUTEQ: Interface de R pourles Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires [Computer software], 2009.

VALA, J.; CASTRO, P. Pensamento Social e Representações Sociais. In: VALA, J.; MONTEIRO, M. B. (org.). Psicologia Social. 10. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2017.

VEIGA-NETO, A. Currículo e cotidiano escolar: novos desafios. In: CONGRESSO INTERNACIONAL COTIDIANO: DIÁLOGOS SOBRE DIÁLOGOS, 2., 2008. Anais [...]. Niterói, RJ: Universidade Federal Fluminense, 2008. p. 1-11.

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Emilio, R. M., & Abdalla, M. de F. B. (2021). A BNCC como mecanismo de controle da educação. Revista @mbienteeducação, 14(3), 700–730. https://doi.org/10.26843/v14.n3.2021.1119.p700-730

Edição

Seção

Artigos Científicos