Produção científica sobre avaliação e autoavaliação educacional: interfaces com a gestão escolar

Autores

  • Eric Ferdinando Kanai Passone Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação e Mestrado Profissional Formação de Gestores Gestão da Universidade Cidade de São Paulo
  • Angela Maria Martins Pesquisadora Fundação Carlos Chagas. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Mestrado Profissional Formação de Gestores da Universidade da Cidade de São Paulo
  • Sanny Silva Rosa Professora e pesquisadora do Mestrado Profissional em Educação (Docência e Gestão Educacional) da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS).

DOI:

https://doi.org/10.26843/v14.n3.2021.1077.p580-598

Palavras-chave:

Estado do conhecimento, Avaliação e autoavaliação educacional, Gestão escolar, Indicadores educacionais

Resumo

O objetivo deste estudo foi inventariar e analisar trabalhos científicos sobre gestão escolar, a fim de responder à seguinte questão: quais aspectos e dimensões são privilegiados nesses trabalhos que podem nos fornecer uma visão abrangente sobre o grau e alcance do interesse acadêmico sobre esse tema? Este artigo apresenta e discute uma das dimensões relevantes abordadas no estudo, que diz respeito à avaliação educacional e autoavaliação. Nesta etapa do estudo, o conteúdo de 28 artigos, publicados entre 2009 e 2020, foi sistematizado nos seguintes eixos de análise: avaliação de desempenho e gestão de sistemas de ensino; avaliação institucional, autoavaliação e democratização escolar; efeito escolar e / ou características efetivas das escolas; avaliação de desempenho de estudantes e modelos de gestão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eric Ferdinando Kanai Passone, Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação e Mestrado Profissional Formação de Gestores Gestão da Universidade Cidade de São Paulo

Formado em Psicologia pela Universidade Metodista de Piracicaba (1997-2002); Mestre e Doutor em Educação pela Unicamp (2005-2012). Trabalhou como psicólogo em programa socioeducativo para crianças e adolescentes em situação vulnerabilidade e como coordenador de projetos educacionais, junto ao poder executivo do município de Piracicaba (2002-2005). Lecionou disciplinas de Psicologia Social, Psicologia e Educação, Psicologia, Cultura e Educação, Psicologia da Comunicação e Psicologia Aplicada ao Direito na Universidade Metodista de Piracicaba (2009-2013). Desenvolveu seu pós-doutorado na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo(2013-2016), sob Supervisão do Dr. Leandro de Lajonquière. Participou como voluntário como Pesquisador Associado ao Núcleo de Estudos de Políticas Públicas da Universidade de Campinas (2016-2020). Foi docente e mentor do Programa de Pós-Graduação em Educação, Subjetividade e Psicanálise da Universidade Ibirapuera (SP). ? docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Mestrado Profissional em Gestão Educacional da Universidade da Cidade de São Paulo. Membro integrante da Red INFEIES ( Red de Estudios e Investigaciones Psicoanalíticas e Interdisciplinarias en Infancia e Instituciones) e da RUEPSY (Réseau Universitaire International d?? tudes d'? ducation et de Psychanalyse)

Angela Maria Martins, Pesquisadora Fundação Carlos Chagas. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Mestrado Profissional Formação de Gestores da Universidade da Cidade de São Paulo

Graduada em Ciências Sociais e Políticas. Mestre em Educação pela Universidade de São Paulo - USP. Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Realizou pós-doutorado com bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes - no Instituto de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa (2008), na área de políticas públicas educacionais. Em 2016 realizou estágio de pesquisa na Universidade Nova de Lisboa, com Bolsa de Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Fapesp. Foi diretora estadual em São Paulo da Associação Nacional de Política e Administração da Educação (ANPAE) (2006-2008 e 2008-2011). Foi vice-presidente da ANPAE Sudeste (2011-2013 e 2013-2015). Desde 1996 é pesquisadora da Fundação Carlos Chagas na área de política e gestão da educação. Foi professora do Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Católica de Santos, de 2001 a 2010. ? professora titular do Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Cidade de São Paulo e do Mestrado Profissional Formação de Gestores Educacionais na mesma instituição, desde 2010. ? bolsista produtividade do CNPq. Tem estudado principalmente os seguintes temas: políticas educacionais e gestão da educação; metodologias de pesquisa; trajetórias, práticas e identidade profissional de diretores e professores.

Sanny Silva Rosa, Professora e pesquisadora do Mestrado Profissional em Educação (Docência e Gestão Educacional) da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS).

Graduada em Pedagogia (PUC-SP, 1983). Mestre e Doutora em Educação (Currículo) pela PUC-SP; Pesquisadora visitante do Instituto de Educação da Universidade de Londres (2010-2011), supervisão de Stephen J. Ball. Atualmente é Professora e pesquisadora do Mestrado Profissional em Educação (Docência e Gestão Educacional) da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Coordenadora do grupo de pesquisa "Gestão Democrática e Qualidade Social da Educação Básica) do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Educação da USCS. Pesquisadora colaboradora do Grupo de Educação e Pesquisa em Justiça Curricular do Programa de Pós-graduação em Educação (Currículo) da PUC-SP (2016-atual). Linha de pesquisa em que atua: Políticas e Gestão da Educação Básica; Políticas de Currículo e Reformas Educacionais. Temas de pesquisa: políticas educacionais e curriculares; gestão pedagógica da educação básica; qualidade social da educação.

Referências

BERNADO, E. S. Organização de turmas: uma prática de gestão escolar em busca de uma escola eficaz. Revista Educação e Cultura Contemporânea, Rio de Janeiro, Universidade Estácio de Sá, v. 10, n. 21, p. 1-24, 2013.

BERNADO, E. S.; CHRISTOV? O, A. C. Tempo de Escola e Gestão Democrática: o Programa Mais Educação e o IDEB em busca da qualidade da educação. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 41, n. 4, p. 1113? 1140, out./dez. 2016.

BETINI, G. Avaliação Institucional Participativa em Escolas Públicas de Ensino Fundamental. Educação: Teoria e Prática, n. 20, 2010.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas, SP: Papirus, 2005.

BRANDALISE, M. A. T.; MARTINS, C. B. Programa de avaliação institucional da educação básica do Paraná: da produção à implementação da política na escola. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 22, n. 50, p. 1-21, set./dez. 2011.

CARVALHO, C. P.; OLIVEIRA, A. C. P.; LIMA, M. F. M. Avaliações externas: tensões e desafios para a gestão escolar. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 59, p. 50-76, set./dez. 2014.

CERDEIRA, D. et al. Conhecimento e Uso de Indicadores Educacionais no Município do Rio de Janeiro. Estudos em Avaliação Educacional, v. 28. n. 69. p. 926-968, dez. 2017.

C? CO, V.; GALDINO, L. Gestão democrática: inserção dos gestores nas instituições de educação infantil. Revista Contrapontos, Itajaí, SC., v. 16, n. 2, p. 300-320, jul. 2016.

CONCEI? ? O, S.; PARENTE, J. O perfil do diretor das escolas públicas de Itabaiana (SE): um estudo multivariado. EccoS ? Revista Científica, v. 35, 173-190, 2014.

HOJAS, V. F.; MANFIO, A. Educação de qualidade: concepções da equipe de gestão e de docentes acerca da organização do trabalho na escola e da avaliação em larga escala. Educação em Revista, Marília, v. 15, n. 1, p. 19-30, jan./jun. 2014.

LIMA, L. A avaliação institucional como instrumento de racionalização e o retorno à escola como organização formal. Educação e Pesquisa, v. 41, p. 1339-1352, 2015.

MACHADO, C. Avaliação externa e escolas públicas: elementos de gestão escolar democrática. Estudos em Avaliação Educacional, v. 27, n. 64, p. 218-240, 2016.

MACHADO, C.; ALAVARSE, O. M. Avaliação interna no contexto das avaliações externas: desafios para a gestão escolar. RBPAE, v. 30, n. 1, p. 63-78, jan./abr. 2014.

MACHADO, C.; FREITAS, P. F. Gestão escolar e avaliação externa: Experiências de escolas da Rede Municipal de São Paulo. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 3, p. 113-126, 2014.

MARTINS, A. M.; SOUSA, S. Z. A produção científica sobre avaliação educacional e gestão de sistemas e de escolas: o campo da questão entre 2000 e 2008. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro , v. 20, n. 74, p. 9-26, mar. 2012 .

OLIVEIRA, A. C. P.; CARVALHO, C. P. Gestão escolar, liderança do diretor e resultados educacionais no Brasil. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 23, 2018.

OLIVEIRA, A. C. P.; WALDHELM, A. P. S. Liderança do diretor, clima escolar e desempenho dos estudantes: qual a relação? Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 24, n. 93, p. 824 - 44, out./dez. 2016.

ORLANDO FILHO, O.; SA, V. I. M. Avaliação externa da gestão escolar do Programa Nova Escola do Estado do Rio de Janeiro: um estudo reflexivo sobre o seu primeiro ciclo de realização (2000? 2003), passados quinze anos de sua implementação. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro, v. 24, n. 91, p. 275-307, jun. 2016.

PAES DE CARVALHO, C.; CANEDO, M. L. Estilos de Gestão, Cultura Organizacional e Qualidade de Ensino. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 9, p. 78-98, 2012.

PASSONE, E. F. K. Gestão Escolar e Democracia: o que nos ensinam os estudos de Eficácia Escolar. Laplage em revista, v. 5, n. 2, p. 142-156, 2019.

PASSONE, E. F. K. Incentivos monetários para professores: avaliação, gestão e responsabilização na educação básica. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 44, n. 152, p. 424-448, jun. 2014.

RIOS, M. P. G; TREVISOL, M. T. C; SOPELSA, O. Ações de escolas da rede pública municipal da mesorregião do oeste de Santa Catarina em prol da qualidade do ensino fundamental. Educação Unisinos, v. 21, n. 1, p. 90-101, jan./abr. 2017.

ROSISTOLATO, R.; PRADO, A.; FERNÁNDEZ, S. Cobranças, estratégias e ? jeitinhos? ?: avaliações em larga escala no Rio de Janeiro. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo: Fundação Carlos Chagas, v. 25, n. 59, p. 78-107, set./dez. 2015.

SALGADO JUNIOR, A. P.; NOVI, J. C.; FERREIRA, J. Práticas escolares e desempenho dos alunos: uso das abordagens quantitativa e qualitativa. Educ. Soc., Campinas, v. 37, n. 134, p. 217-243, mar. 2016.

SILVA, I. M. Autoavaliação e gestão democrática na instituição escolar. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Rio de Janeiro, v. 18, n. 66, p. 49-64, mar. 2010.

SILVA, N. F.; ARANDA, M. A. M. Participação e gestão democrática da educação: o legislado é o praticado?. Horizontes - Revista de Educação, v. 8, n. 15, p. 230-244, jul. 2020.

SOUZA, A.R.; DA SILVA, M. Q. Panorama nacional das condições de gestão no ensino fundamental. Revista on line de Política e Gestão Educacional, p. 939-960, dec. 2018.

SOUZA, S. M. Z. L.; MARTINS, A. M. Composição e organização da clientela escolar em escolas municipais brasileiras: o que dizem os diretores. Educar em Revista, v. 34, n. 71, p. p. 175-190, nov. 2018.

VIEIRA, S. L.; VIDAL, E. M. A escola pública e seu entorno social ? Uma questão em aberto. Atos de pesquisa em educação, Blumenau, v. 10, n. 1, p.7-30, jan./abr. 2015.

WERLE, F. O. C.; AUDINO, J. F. Desafios na gestão escolar. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação - Periódico científico editado pela ANPAE, v. 31, n. 1, p. 125-144, set. 2015.

WERLE, F. O. C.; KOETZ, C. M.; MARTINS, T. F. K. Escola pública e a utilização de indicadores educacionais. Educação, v. 38, n. 1, p. 99-112, 2015.

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Passone, E. F. K., Martins, A. M., & Rosa, S. S. (2021). Produção científica sobre avaliação e autoavaliação educacional: interfaces com a gestão escolar. Revista @mbienteeducação, 14(3), 580–598. https://doi.org/10.26843/v14.n3.2021.1077.p580-598

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)