Masculinidades e o exercício de professores homens na educação infantil: uma reflexão a partir das sensibilidades

Autores

  • Marciano Antonio da Silva Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste
  • Allene Carvalho Lage Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste

DOI:

https://doi.org/10.26843/v14.n3.2021.1062.p537-554

Palavras-chave:

Sensibilidades, Masculinidades, Professores homens, Educação infantil

Resumo

Considerando a sensibilidade enquanto elemento central no processo de formação humana, buscamos a partir do trabalho com esse campo de estudo, tecer algumas reflexões acerca das masculinidades e educação. Assim sendo, direcionamos uma atenção para o exercício de professores homens que atuam no contexto Educação Infantil, tendo em vista os impasses que cercam a atuação desses profissionais nessa etapa de ensino. Elegemos como objetivo geral compreender que contribuições são vislumbradas a partir do estudo das sensibilidades para a reflexão sobre masculinidades no contexto da Educação Infantil. Para alcançar nossas proposições, realizamos uma discussão teórica e exploratória. O estudo revelou que o trabalho com as sensibilidades no campo educacional desponta enquanto uma importante ferramenta político-pedagógica, uma vez que potencializa o alargamento das experiências humanas, bem como recupera os sentidos, capacidades estéticas e afetos que foram destituídos ao longo da modernidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marciano Antonio da Silva, Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste

Doutorando e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Contemporânea pela Universidade Federal de Pernambuco ? Centro Acadêmico do Agreste (UFPE-CAA). 

Bolsista pela Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco.

Allene Carvalho Lage, Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste

Pós-doutora em Direitos Humanos (PPGDH/UFPE, 2016). Pós-doutora em Educação (UFRGS, 2012). Doutora em Sociologia (Universidade de Coimbra, 2006). Professora Associada da Universidade Federal de Pernambuco. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Contemporânea (PPGEDUC/UFPE).

Referências

ALBURQUERQUE J? NIOR, Durval Muniz. Nostalgia da infância, saudades do feminino: em que momentos da vida de um homem o feminismo pode atuar para construção de outras masculinidades possíveis. In: BLAY, Eva Alterman (Org.). Feminismos e masculinidades: novos caminhos para repensar a violência contra a mulher. São Paulo, Cultura Acadêmica, 2017.

ARA? JO, Miguel Almir Lima de. Os sentidos da sensibilidade e sua fruição no fenômeno do educar. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.25, n.02, p.199-222, ago. 2009. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/edur/v25n2/09.pdf. Acesso em 20 de mai. de 2021.

BADINTER: Elisabeth. XY: sobre a identidade masculina. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

CONNELL, Robert W.; MESSERSCHMIDT, James W. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 21, n. 1, p. 241-282, jan./abr., 2013.

CRESWELL, John. Projeto de pesquisa: Métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DIAS, Karina Sperle. Formação estética: em busca do olhar sensível. In: KRAMER, Sõnia. Infância e Educação Infantil. 2a Ed. São Paulo: Papirus, 1999, p. 175-201.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. O sentido dos sentidos: a educação (do) sensivel. 2000. 233 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas-SP, 2000.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Editora Olho d? Água, 1997.

GARCÍA, Leonardo Fabían. Nuevas masculinidades: discursos y prácticas de resistencia al patriarcado. FLACSO Ecuador, 2015.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Ed. Atlas, 2008.

LAKATOS, Eva Maria. MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2010.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. Petrópolis: Vozes, 1997.

MAFFESOLI, Michel. Elogio da razão sensível. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

MAFFESOLI, Michel. No Fundo das Aparências. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

MEDRADO, Benedito; LYRA, Jorge. Por uma matriz feminista de gênero para os estudos sobre homens e masculinidades. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 16, n. 3, p. 809-840, set./dez. 2008.

OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

RODRIGUES, Luiza Silva; ROBLE, Odilon José. Educação dos sentidos na contemporaneidade e suas implicações pedagógicas. Pro-Posições, Campinas, v. 26, n. 3, p. 205-224, set./dez. 2015. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/pp/v26n3/0103-7307-pp-26-03-0205.pdf. Acesso em 15 mai. de 2021.

SILVA, Marciano Antonio da. Professora sim. Professor também. Tio jamais: um estudo sobre masculinidades e docência no contexto da educação infantil na região Agreste de Pernambuco. 2020. 244 f. Dissertação (Mestrado em Educação) ? Programa de Pós-Graduação em Educação Contemporânea, Universidade Federal de Pernambuco, CAA, Caruaru-PE, 2020.

Publicado

2021-12-16

Como Citar

Silva, M. A. da, & Lage, A. C. (2021). Masculinidades e o exercício de professores homens na educação infantil: uma reflexão a partir das sensibilidades. Revista @mbienteeducação, 14(3), 537–554. https://doi.org/10.26843/v14.n3.2021.1062.p537-554

Edição

Seção

Artigos Científicos