As formas de escolha dos diretores das escolas de educação infantil nas redes municipais das capitais brasileiras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/v13.n3.2020.956.p138-154

Palavras-chave:

Gestão Democrática, Educação Infantil, Formas de escolha de diretores, Políticas educacionais

Resumo

O presente artigo teve por objetivo revelar e discutir a forma de escolha dos diretores que atuam nas escolas que atendem exclusivamente a educação infantil nas capitais brasileiras e em Brasília. Para tanto, a metodologia empregada consistiu em uma análise documental que pudesse fornecer informações para a construção desse panorama, consultando páginas na Internet das Prefeituras, Governo Distrital, Conselhos Municipais/Distrital de Educação e Câmara dos Vereadores/Câmara Legislativa. Pautado na literatura voltada à discussão sobre a gestão democrática do ensino público brasileiro e nos princípios e apontamentos do tema na legislação nacional vigente, o resultado da pesquisa mostrou que 41% das capitais realizam o processo de escolha por eleição, 7% por indicação, 4% por concurso público e outras 7% utilizam modelos mistos. Destacamos ainda a dificuldade de acesso à informação deste ato público, pois em 41% das capitais não encontramos nenhuma informação em sites oficiais sobre a forma de escolha de seus diretores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABDIAN, G. Z.; HOJAS, V. F.; OLIVEIRA, M. E. N. Formação, função e formas de provimento do cargo do gestor escolar: as diretrizes da política educacional e o desenvolvimento teórico da administração escolar. ETD? Educ.Tem.Dig., Campinas, v. 14, n. 1, p. 399-419, jan./jun. 2012. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/1260/pdf

ALONSO, Myrtes. 1976. O papel do diretor na administração escolar. São Paulo: DIFEL/EDUC

ARROYO, Miguel G. 1979. Administração da educação, poder e participação. Educação e Sociedade. Ano I, n. 2, jan./1979. Campinas: CEDES.

BOBBIO, N. O futuro da democracia. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. 13. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

BRASIL. Constituição Federal. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em janeiro de 2020.

CELLARD, A. A análise documental. IN: POUPART, J. et. Al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Tradução de Ana Cristina Nasser. Coleção Sociologia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008, p. 295 - 316.

DRABACH, N. P. As mudanças na concepção da gestão pública e sua influência no perfil do gestor e da gestão escolar no Brasil. 2013. 251 f. Dissertação (Mestrado em Educação) ? Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2013.

ESQUINSSANI, R. S. S. Eleição de diretores e gestão da escola pública: reflexões sobre democracia e patrimonialismo. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente, SP, v. 24, n. 2, p. 101-115, maio/ago. 2013. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/2482/2227

F? LIX, Maria de Fátima C. 1984. Administração escolar: um problema educativo ou empresarial? Análise da proposta do estado capitalista brasileiro para a burocratização do sistema escolar. São Paulo: Cortez/Autores Associados.

HASCKEL, S. Gestão Democrática na Educação Infantil: a eleição para diretor de creche. Dissertação de Mestrado (Educação). Florianópolis: UFSC, 2005. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/103061/222711.pdf?sequence=1&isAllowed=y

LE? O, Antônio Carneiro. 1953. Introdução à administração escolar. 3ª. Edição. São Paulo: Cia. Editora Nacional.

LIMA, L. C.; SÁ, V.; SILVA, G.R. O que é a democracia na "gestão democrática das escolas"? Representações de diretores(as). In: Lima, L. C. & Sá, V. (Orgs.). O governo das escolas: democracia, controlo e performatividade (pp. 213-258). V. N. Famalicão: Húmus, 2017.

LOUREN? O FILHO, Manoel B. 1976. Organização e administração escolar: curso básico. 7ª. Edição. São Paulo: Melhoramentos. Brasília: INL.

MARQUES, L. R. A eleição de diretores nas políticas de democratização da educação na região metropolitana do Recife. Educação. UNISINOS vol.16 no.02 São Leopoldo maio/ago. 2012 Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/edunisinos/v16n02/v16n02a07.pdf

MENDON? A, E. F. A regra e o jogo: Democracia e patrimonialismo na educação brasileira. Tese de doutorado (Educação) Campinas, SP: FE/Unicamp; R. Vieira, 2000. Disponível em http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000199290&fd=y. Acesso em janeiro de 2020.

NEVES, M. L.; SCHNECKENBERG, M.; LIMA, M. F. As formas de provimento na gestão democrática da educação pública e seus impactos na valorização docente. Impulso, Piracicaba ? ? 28(71), 19-32, jan.-abr. 2018. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/article/download/3850/2210

OLIVEIRA, A. C. P.; MORAES, F. M. Escolha de diretores escolares nas redes estaduais de ensino: desafios e perspectivas atuais. EDUCA? ? O ON-LINE (PUCRJ), v. 14, p. 59-83, 2019. Disponível em: http://educacaoonline.edu.puc-rio.br/index.php/eduonline/article/view/694/251

PARO, V. H. Diretor escolar: educador ou gerente. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2015. v. 1. 128p.

PARO, V. H. 1988. Administração Escolar: introdução crítica. 3ª. Edição. São Paulo: Cortez

PIRES, P. A. G. Gestão Democrática: impasses e desafios para a elaboração da Lei n. 1513 do Estado do Acre. Tese de Doutorado (Educação). Curitiba: UFPR, 2016.

RIBEIRO, José Querino. 1952. Ensaios de uma teoria da administração escolar. São Paulo: USP.

SCALABRIN, I. S. "Mérito, desempenho" e "participação": adesões e resistências à meta 19 do PNE nos planos estaduais e distrital de educação. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS, 2018.

SILVA, C. D. Eleição de diretores escolares: avanços e retrocessos no exercício da gestão democrática da educação. Gest. Ação, Salvador, v.9, n.3, p. 271-288, set./dez. 2006. Disponível em: http://www.gestaoemacao.ufba.br/revistas/rga05.03.2007%20eletronica.pdf#page=25

SOUZA, A. R. de. Perfil da Gestão Escolar no Brasil. 2007. 302 p. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo. 2007.

SOUZA, A. R. A pesquisa em Política e Gestão da Educação no Brasil (1998-2015): atualizando o estado do conhecimento. EDUCA? ? O & SOCIEDADE, v. 40, p. 1-21, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v40/1678-4626-es-40-e0207654.pdf

SOUZA, A. R.; TAVARES, Tais Moura. A gestão educacional no Brasil: os legados da ditadura. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 30, p. 269-284, 2014. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/53674

SOUZA, A. R.; GOUVEIA, A. B. Diretores de escolas públicas: aspectos do trabalho docente. Educar em Revista (Impresso), n. especial 1, p. 173-190, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/er/nspe_1/09.pdf

SOUZA, A. R. A GEST? O DEMOCRÁTICA DA ESCOLA P? BLICA NO BRASIL: o que mudou entre 2003 e 2015? In: Cynthia Paes de Carvalho; Ana Cristina Prado de Oliveira; Maria Luiza Canedo. (Org.). Gestão Escolar e Qualidade da Educação: caminhos e horizontes de pesquisa. 1ed.Curitiba: CRV, 2018, v. 1, p. 211-230.

TORRES, A.; GARSKE, L. M. N. Diretores de Escola: o desacerto com a democracia. Em Aberto, v. 17, n. 72, p. 59-70, 2000. Disponível em: http://rbepold.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/download/2119/2088

Publicado

2020-09-07

Como Citar

CRUZETTA, D. D.; DE SOUZA, ? ngelo R. As formas de escolha dos diretores das escolas de educação infantil nas redes municipais das capitais brasileiras. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 13, n. 3, p. 138–154, 2020. DOI: 10.26843/v13.n3.2020.956.p138-154. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/956. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê temático: "Gestão escolar e formação docente: diferentes perspectivas"