Corpo e contexto escolar: experiências lúdico-simbólicas

Autores

  • Iduina Mont´Alverne Chaves UFF
  • Tania Marta Costa Nhary UERJ
  • Eduardo Pimentel Menezes UERJ

DOI:

https://doi.org/10.26843/v13.n2.2020.928.p61-77

Palavras-chave:

Educação, Corpo, Espaço, Simbolismo

Resumo

Este artigo trata de um estudo do imaginário lúdico através do movimento corporal de crianças de uma escola pública, localizada na cidade de  Niterói/RJ. Pretendeu-se construir uma pesquisa dos sentidos, com vistas a trazer à tona reflexões sobre a tensão entre a potência das manifestações corporais e os fazeres docentes revelados na dinâmica lúdico simbólica das crianças, em atividades de jogos e brincadeiras. O estudo se fundamentou na perspectiva teórico-metodológica da sociologia compreensiva de Michel Maffesoli e na teoria da complexidade de Edgar Morin. Os estudos do imaginário, os estudos sobre corpo, e a pesquisa narrativa, alinharam-se ao referencial teórico-metodológico,  de modo a capturar os sentidos dos espaços revelando a cultura das crianças (modos de pensar, sentir e agir), pela expressividade de suas múltiplas linguagens, especialmente a linguagem corporal. Por meio da cartogênese, uma das heurísticas utilizadas para capturar manifestações simbólicas, foi revelado que a linguagem corporal das crianças do estudo remetem à heroicidade e ao afeto. Acreditamos que a pesquisa mostrou que a saída para a crise atual do paradigma dominante será o aparecimento de um novo paradigma, que não negue o anterior, mas que transforme o

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRAND? O, J. M. Dicionário mítico-etimológico da mitologia grega. Petrópolis: Vozes, 1991.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 1994

CORBIN, Henri. Mundus Imaginalis: lo imaginário & lo imaginal. Disponível em <http://homepage.mac.com/eeskenazi/Mundus.html>. Acesso em: janeiro / 2010.

Courtine, Jean-Jacques; Vigarello, Georges (orgs.). História do corpo: da Revolução à Grande guerra. Tradução de João Batista Kreuch. vol. 2. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

DUBORGEL, Bruno. Imaginário e pedagogia. Lisboa: Instituto Piaget, 1995.

DURAND. Gilbert. A imaginação simbólica. São Paulo Edições 70. 2000.

________ Estruturas antropológicas do imaginário. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 26ª Edição, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 27ª edição, 1996.

________ Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

G? LIS, Jacques. O corpo, a igreja e o sagrado. In: COURBIN. A. COURTINE.J.J e VIGARELLO, G. História do Corpo. Da renascença às Luzes. Vol. 1. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008

HILLMAN, James. O pensamento do coração e a alma do mundo. Tradução de Gustavo Barcellos. Campinas, São Paulo: Verus, 2010.

______________O código do ser: uma busca do caráter e da vocação pessoal. Tradução de Adalgisa Campos da Silva. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

_____________ Psicologia Arquetípica - Um breve relato. Tradução de Lúcia Rosenberg e Gustavo. Barcellos. São Paulo: Cultrix, 1992.

HOOHS, Bell. Eros, erotismo e o processo pedagógico. In: LOURO, G.L. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica. 2ª Edição, 2001.

JUNG. Carl Gustav. O homem e seus símbolos. Tradução de Maria Lúcia Pinto. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

______________ Símbolos e transformação. Obras Completas. v.V. Petrópolis: Vozes, 1979.

KELEMAN. Stanley. Mito e corpo: uma conversa com Joseph Campbell. São Paulo: Summus, 2001

LE BRETON. David. A sociologia do corpo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

LUDKE, Menga; ANDR? , Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MAFFESOLI, Michel. A conquista do presente. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

_________Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996.

NAJMANOVICH, Denise. O sujeito encarnado. Rio de Janeiro: D.P&A, 2001.

NHARY, Tania Marta Costa. O jogo como prática pedagógica para professores em formação. In: FONTOURA, Helena Amaral. (org). Diálogos em formação de professores: pesquisas e práticas. Niterói: Intertexto, 2007.

_____________O que está em jogo no jogo. Cultura imagens e simbolismos na formação de professores. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro, 2006.

SANTOS. Boaventura. Um discurso sobre as ciências. São Paulo: Cortez, 2003.

WUNENBURGER. Jean-Jacques. O imaginário. São Paulo: Edições Loyola. 2007.

WUNENBURGER. Jean-Jacques e ARA? JO, Alberto Filipe. 2006. Educação e imaginário: introdução a uma filosofia do imaginário educacional. São Paulo: Cortez, 2006.

Downloads

Publicado

2020-06-01

Como Citar

CHAVES, I. M.; NHARY, T. M. C.; MENEZES, E. P. Corpo e contexto escolar: experiências lúdico-simbólicas. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 61–77, 2020. DOI: 10.26843/v13.n2.2020.928.p61-77. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/928. Acesso em: 30 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)