Espaços de formação continuada de professores da eja: análise a partir das metáforas em foco em grupos de discussão

Autores

  • José Rubens Lima Jardilino Universidade Federal de Ouro Preto
  • Raquel Silveira Martins

DOI:

https://doi.org/10.26843/v6.n2.2013.85.p244%20-%20258

Palavras-chave:

Formação continuada, Educação de jovens e adultos, Grupos de discussão

Resumo

Resumo

O presente texto discute a questão dos múltiplos espaços de formação continuada de professores. Nesta pesquisa, os sujeitos envolvidos são docentes que atuam na Educação de jovens e adultos. Os Fóruns de EJA, a preparação de projetos, entre outros são, antes de tudo, espaços democráticos de discussão e socialização de experiências. São espaços de formação? Buscou-se discutir o papel formador dos Fóruns de EJA, quando da elaboração do

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Silveira Martins

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto. Pesquisadora do grupo de pesquisa Formação e Profissão Docente ? FOPROFI/Cnpq.

Referências

CAMPOS, E., et al. Fórum mineiro de EJA: espaços de (re)leituras da EJA. 16º Congresso de Leitura do Brasil. Campinas/ SP, 2007. 1-5 p. Disponível em: http://alb. com.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/

anais16/sem01pdf/sm01ss01_02.pdf

CURY, C. R. J. Potencialidades e limitações da certificação de professores.

Meta: Avaliação v. 1, n. 2, p. 297-315, set./ dez. 2009.

DI PIERRO, M. C. Notas sobre a redefinição da identidade e das políticas públicas de educação de jovens e adultos no Brasil. Educação & Sociedade, v. 26, n. 92, p. 1115-1139, Out. 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S0101-

-73302005000300018&nrm=iso >.

FERREIRA, A. B. H. Minidicionário da língua portuguesa: Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25.ed. São Paulo Paz e Terra, 1996.

FREITAS, H. C. L. Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Educação & Sociedade, v. 23, n. 80, p. 136-167, Set. 2002. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101--73302002008000009&nrm=iso >.

GATTI, B. A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação - ANPEd, v. 13, n. 37, Jan./ Abr. 2008. Disponível em: < http://dx.doi.

org/10.1590/S1413-24782008000100006>.

MARTINS, A. B., et al. Desafios da formação de professores da educação de jovens e adultos. Revista Educação em destaque, v. 1, n. 1, p. 1-16, Abril 2008.

OLIVEIRA, E. C. D. Sujeitos-professores da EJA: visões de si mesmo em diferentes contextos e práticas. TV Escola, Salto para o futuro, p. 1-6, 2004. Disponível em: http://www.cereja.org.br/arquivos_ upload/saltofuturo_eja_set2004_progr5.pdf. Acesso em: 11 abril 2013.

PAIM, E. A. Memorias e experiencias do fazer-se professor. 2005. (Tese). Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. 2005.

PAIM, E. A. Do formar ao fazer-se professor. In: MONTEIRO, A. M. Ensino de história: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro: Manuad X, 2007. p.157-172.

PAIVA, J. Concepções e movimentos pela formação de pedagogos para a Educação de Jovens e adultos na Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. In: SOARES, L. Formação de educadores de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p.45-67.

PREFEITURA MUNICIPAL DE DIVIN? POLIS. Secretaria Municipal de Educação. Projeto de educação de jovens e adultos. Divinópolis, MG, 2006. Disponível em: < http://ejadivinopolis.wordpress.com/o-projeto-experimental/ >.

SILVA, C. M. Escola, saberes e cotidiano no meio rural: um estudo sobre os (as) jovens do sertão da Bahia. 2009. (Dissertação).Universidade de Brasília, Brasília.2009.

SILVA, F. A. O. R. Tópicos em história recente da EJA: a formação pela vivência e convivência nos fóruns regionais mineiros. 2008. (Dissertação). Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Educação, Belo Horizonte. 2008.

TUCKMANTEL, M. M. A formação política do professor do ensino fundamental: obstáculos, contradições e perspectivas. 2002. (Dissertação). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. 2002.

VALVERDE, D. O. Para além do ensino médio: a política de cotas da universidade de Brasília e o lugar do/a jovem negro/a na educação. 2008. (Dissertação). Universidade de Brasília, Brasília. 2008.

WELLER, W. A contribuição de Karl Mannheim para a pesquisa qualitativa:

aspectos teóricos e metodológicos. Sociologias, In. 13, Jan.Jun 2005. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S151745222005000100011>.

WELLER, W. Grupos de discussão na pesquisa com adolescentes e jovens:

aportes teórico-metodológicos e análise de uma experiência com o método. Educação e Pesquisa, v. 32, n. 2, p. 241-260, ago. 2006. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.p h p ? s c r i p t = s c i _ a r t t e x t & p i d = S 1 5 1797022006000200003&nrm=iso >.

WELLER, W. Grupos de discussão: aportes teóricos e metodológicos. In: PFAFF,N. Metodologias da pesquisa qualitativa em Educação: teoria e prática. 2.ed. Petrópolis,RJ: Vozes, 2011.

WELLER, W., et al. Karl Mannheim e o método documentário de interpretação: uma forma de análise das visões de mundo. Sociedade e Estado, v. 17,n. 2, p. 375-396, Dez. 2002. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php? s c r i p t =s c i _ a r t t ex t & p i d=S 01 0269922002000200008&nrm=iso >.

Downloads

Publicado

2017-09-14

Como Citar

JARDILINO, J. R. L.; MARTINS, R. S. Espaços de formação continuada de professores da eja: análise a partir das metáforas em foco em grupos de discussão. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 6, n. 2, p. 244–258, 2017. DOI: 10.26843/v6.n2.2013.85.p244 - 258. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/85. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)