O brincar e os contextos físicos escolares: uma reflexão sobre a educação infantil no Município de São Paulo

Autores

  • Fábio Xavier Santos Programa de Mestrado em Educação da Universidade Cidade de São Paulo
  • Ida Carneiro Martins Grupo de Pesquisa "Pedagogia do Movimento" da Universidade Nove de Julho ­ UNINOVE
  • Roberto Gimenez Professor e Pesquisador do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Cidade de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.26843/v12.n1.2019.690.p177-191

Palavras-chave:

Brincar, Educação Infantil, Espaço Físico, Escola

Resumo

Reconhecidamente, o brincar contribui para o desenvolvimento das crianças sob uma série de aspectos, incluindo suas dimensões cognitivas, afetivas e motoras. Em linhas gerais, percebe-se uma crescente valorização das instituições escolares em relação aos elementos lúdicos da aprendizagem. Todavia, nos grandes centros urbanos como é o caso da cidade de São Paulo, os espaços escolares destinados ao brincar foram drasticamente influenciados pela estrutura arquitetônica das escolas. Diante da necessidade de ampliação do número de vagas, as concessões oferecidas à iniciativa privada contribuíram para uma reconfiguração dos espaços escolares, uma vez que escolas de pequeno porte, grande parte das vezes, adaptadas a partir de casas térreos ou sobrados passaram a compor o quadro das instituições.  O presente artigo teve por objetivo discutir esta problemática, com especial atenção aos possíveis desdobramentos que ela apresenta sobre o desenvolvimento infantil. Nele são apresentados diversos olhares, sejam eles da antropologia, educação, medicina, arquitetura entre outros, sobre a importância do brincar. Também foi agregado ao estudo o amparo legal associado às dimensões do brincar no contexto escolar. Finalmente, são apresentadas implicações para a atuação do poder público e para o desenvolvimento de pesquisas sobre o referido tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Xavier Santos, Programa de Mestrado em Educação da Universidade Cidade de São Paulo

Aluno do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Cidade de São Paulo.

Ida Carneiro Martins, Grupo de Pesquisa "Pedagogia do Movimento" da Universidade Nove de Julho ­ UNINOVE

Possui graduaça? o em Educaça? o Física pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas ­ PUCCamp (1979), especializaça? o em Educaça? o Física Infantil pela Faculdades Integradas de Guarulhos ­ FIG (1982) e em Educaça? o Motora na Escola pela Universidade Estadual de Campinas ­ UNICAMP (1991), mestrado em Educaça? o Física pela Universidade Estadual de Campinas ­ UNICAMP (2002) na área de Pedagogia do Movimento e doutorado em Educaça? o na Universidade Metodista de Piracicaba ­ UNIMEP (2009) na área de Formaça? o de Professores. É membro pesquisadora doo grupo "Pedagogia do Movimento" da Universidade Nove de Julho ­ UNINOVE, desenvolvendo pesquisas relacionadas aos temas: práticas educativas na educaça? o básica; jogos e brincadeiras; educaça? o física escolar; formaça? o de professores.

Roberto Gimenez, Professor e Pesquisador do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Cidade de São Paulo.

possui graduação em Bacharelado Em Educação Física pela Universidade de São Paulo (1996), graduação em Licenciatura Em Educação Física pela Universidade de São Paulo (1998) e mestrado em Educação Física pela Universidade de São Paulo (2001) e Doutorado em Educação Física por esta mesma Universidade (2006). Atualmente é professor da Universidade Nove de Julho, professor e coordenador do curso de Educação Física da Universidade Cidade de São Paulo. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Comportamento Motor, atuando principalmente nos seguintes temas: educação física adaptada, comportamento motor,pessoas com síndrome de down, crianças com problemas de coordenação e educação física. Professor e Pesquisador do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Cidade de São Paulo.

Referências

BROUG? RE, Gilles. Brinquedo e cultura. Revisão técnica e versão brasileira adaptada por Gisela Wajskop. ? 8. Ed. ? São Paulo; Cortez, 2010. ? (Coleção questões da nossa época).

BRASIL (Brasil 1990). Governo Federal. Estatuto da Criança e do Adolescente. 1 Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm>. Acesso em: 03 nov. 2018.

BRASIL (Brasil 1996). C? MARA DOS DEPUTADOS. . Lei de Diretrizes e Bases Nacionais. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 03 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação.. Secretaria da Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. 1998. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Básicos de Infraestrutura para Instituições de Educação Infantil. Brasília, DF: MEC/SEB, 2006.

CAMPOS, Maria Malta. In: Reescrevendo a Educação: propostas para um Brasil melhor. 2006. Disponível em: <https://idis.org.br/wp-content/uploads/2014/04/Educacao-Infantil.pdf>. Acesso em: 25 mai. 2018.

CARVALHO, Felício de. et. al. Relação entre o uso de aparelhos eletrônicos e o nível de desenvolvimento motor de escolares brasileiros do ensino fundamental: um estudo exploratório. Motricidade, v. 14, p. 184-189, 2018.

DECLARA? ? O UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948.

DECLARA? ? O DOS DIREITOS DAS CRIAN? AS Adotada pela Assembléia das Nações Unidas de 20 de novembro de 1959 e ratificada pelo Brasil; através do art. 84, inciso XXI, da Constituição, e tendo em vista o disposto nos arts. 1º da Lei nº 91, de 28 de agosto de 1935, e 1º do Decreto nº 50.517, de 2 de maio de 1961.

ELKONIN, Daniil. B. Psicologia do Jogo. Tradução: Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 447 p.

FARIA, Ana Lúcia Goulart de. A contribuição dos parques infantis de Mário de Andrade para a construção de uma pedagogia da educação infantil. Educação & Sociedade, Ano XX, Nº 69, Dezembro/99, Brasília, n. 69, p.60-91, 10 jun. 1996. Semestral. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v20n69/a04v2069.pdf>. Acesso em: 04 nov. 2018.

FUNDA? ? O MARIA CECILIA SOUTO VIDIGAL (São Paulo). Número de crianças por sala, quantidade de cuidadores e qualidade dos espaços: Qual o impacto no desenvolvimento infantil?. 2013. Disponível em: <http://desenvolvimento-infantil.blog.br/entrevista-numero-de-criancas-por-sala-quantidade-de-cuidadores-e-qualidade-dos-espacos-qual-o-impacto-no-desenvolvimento-infantil/>. Acesso em: 5 out. 2018.

GIMENEZ. Roberto. Corpo, movimento e cultura escolar na educação infantil: substrato para a autonomia e inclusão. In: Jason Ferreira Mafra; José Carlos de Freitas Batista; Ana Maria Haddad Baptista. (Org.). Educação Básica: concepções e práticas. 1ed. São Paulo: BT Editora, 2015, v. 1, p. 79-90.

JANNUZZI, Paulo de Martino; JANNUZZI, Nicoláo. Crescimento urbano, saldos migratórios e atratividade residencial dos distritos da cidade de São Paulo: 1980-2000. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, [S.l.], v. 4, n. 1/2, p. 107, maio 2002. ISSN 2317-1529. Disponível em: <http://rbeur.anpur.org.br/rbeur/article/view/78>. Acesso em: 03 nov. 2018. doi:http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2002v4n1-2p107.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA EDUCA? ? O INFANTIL. 2010. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7155-2-3-brinquedos-brincadeiras-tizuko-morchida/file>. Acesso em: 03 nov. 2018.

MARCELLINO, N. C. Pedagogia da Animação. Campinas: Papirus, 1997.

MARTINS, Ida Carneiro. As relações do professor de educação infantil com a brincadeira: do brincar na rua ao brincar na escola / Ida Carneiro Martins ? Piracicaba, 2009. 169 f. Tese (Doutorado em Educação) ? Programa de Pós-Graduação em Educação / Faculdade de Ciências Humanas - Universidade Metodista de Piracicaba. 2009.

MATOS, Julianna Mendes de. A ORGANIZA? ? O DO ESPA? O DA EDUCA? ? O INFANTIL: A PERSPECTIVA DAS CRIAN? AS. 2015. Disponível em: <http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/21037_10391.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2018.

MENEGHEL, Ana Lúcia Pinto de Camargo. O USO DE APARELHOS ELETR? NICOS DE TELA E A CONSTRU? ? O DAS ESTRUTURAS L? GICAS ELEMENTARES E INFRAL? GICAS DE ESPA? O. 2016. 169 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação, Concentração em Educação, Unicamp, Campinas, 2016. Cap.5.Disponível em:<http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/319218/1/Meneghel_AnaLuciaPintodeCamargo_M.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2018.

NASCIMENTO, Andreia Zemp Santana do. A Criança e o Arquiteto: quem aprende com quem?. 2009. 264 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Arquietetura, Paisagem e Ambiente, Fauusp, São Paulo, 2009. Cap. 4. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2018.

OLIVEIRA, Lara R. Damiani de. O jogo na perspectiva de Wallon: pensamento introdutório. Motrivivência, Florianópolis, v. 9, n. , p.323-327, dez. 1996. Quadrimensal. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/5853>. Acesso em: 3 nov. 2018.

PIAGET, Jean. Psicologia e Pedagogia. Trad. Dirceu Accioly Lindoso e Rosa Maria Ribeiro da Silva. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1976.

__________. A formação do símbolo na criança ? imitação, jogo e sonho, imagem e representação. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1990.

S? O PAULO. IBGE. Governo Federal. População do ultimo senso. 2017. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/sao-paulo/panorama>. Acesso em: 02 nov. 2018.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos superiores. Org. Michael Cole et al. Trad. José Cipolla Neto, Luís Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. 6ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

WALLON, H. A evolução psicologia da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2007. (Coleção Psicologia e Pedagogia).

ZABALZA, M. A. B. A Importância do Contexto para realizar a avaliação da Educação Infantil ofertada. Produção de Revista Educação. Realização de Tv. Educação. Intérpretes: Miguel Ángel Zabalza Beraza. São Paulo: Tv. Educação, 2013. (3 min.), Video, son., color. Disponível em: <https://www.youtube.com/user/revistaeducacao/search?query=ZABALA>. Acesso em: 08 maio 2017. (parte 01 e 02)

Downloads

Publicado

2019-01-03

Como Citar

SANTOS, F. X.; MARTINS, I. C.; GIMENEZ, R. O brincar e os contextos físicos escolares: uma reflexão sobre a educação infantil no Município de São Paulo. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 177–191, 2019. DOI: 10.26843/v12.n1.2019.690.p177-191. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/690. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Corpo e Movimento na Educação Básica