Construção (auto)biográfica e formação de educadores: um olhar desde uma perspectiva transpessoal

Autores

  • Elydio dos Santos Neto Metodista

DOI:

https://doi.org/10.26843/v2.n2.2009.557.p95%20-%20114

Palavras-chave:

(Auto)biografia, Transpessoal, Formação de educadores.

Resumo

Resumo

Este trabalho é um esforço teórico que pergunta sobre a importância, a necessidade e a propriedade da construção de narrativas (auto)biográficas, na formação de educadores, quando se assume um ponto de vista transpessoal. Num primeiro momento, apresento o que estou chamando de concepção transpessoal do ser humano. Mostro as referências teóricas que assumi

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos de Estado: nota sobre os aparelhos ideológicos de Estado. 3. ed.

Rio de Janeiro: Graal, 1985.

APPLE, M. Ideologia e currículo. São Paulo: Brasiliense, 1982.

______. Conhecimento oficial: a educação democrática numa era conservadora. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.BAUDELOT, C.; ESTABLET, R. La escuela capitalista. México: Sigilo Veintiuno, 1977.

BORDIEU, P.; PASSERON, J-C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio

de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

CAPRA, F. O ponto de mutação: a ciência, a sociedade e a cultura emergente. São Paulo: Cultrix, 1992.

CARDOSO, C. M. A canção da inteireza: uma visão holística da educação. São Paulo: Summus, 1995.

D? AMBROSIO, V. Educação para uma sociedade em transição. Campinas: Papirus, 1999.

ESPIRÍTO SANTO, R. C. Pedagogia da transgressão: um caminho para o autoconhecimento. Campinas:

Papirus, 1996.

FERRAROTTI, F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: N? VOA, A.; FINGER, M. (Org.).

O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988. p. 17-33.

FINGER, M. As implicações sócio-epistemológicas do método biográfico. In: N? VOA, A.; FINGER,

M. (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988. p. 79-85.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

______. Educação como prática da liberdade. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

______. Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e

Terra, 1992.

______. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 27. ed. Rio de Janeiro: Paz e

Terra, 1996.

______. A educação na cidade. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1995.

______. ? sombra desta mangueira. 3. ed. São Paulo: Olho d? Água, 2000a.

______. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Edi.Unesp, 2000b.

______. Pedagogia dos sonhos possíveis. São Paulo: Ed. Unesp, 2001.

GENTILI, P.; SILVA, T. T. (Org.). Neoliberalismo, qualidade total e educação: visões críticas. 5. ed. Petrópolis:

Vozes, 1997.

GROF, S. Além do cérebro: nascimento, morte e transcendência em psicoterapia. São Paulo: McGrawHill,

______. A mente holotrópica: novos conhecimentos sobre psicologia e pesquisa da consciência. Rio de

Janeiro: Rocco,1994.______. A aventura da autodescoberta. São Paulo: Summus, 1997.

GROF, S.; GROF, C. (Org.). Emergência espiritual: crise e transformação espiritual. São Paulo: Cultrix, 1992.

______. A tempestuosa busca do ser: um guia para o crescimento pessoal através da crise de transformação.

São Paulo: Cultrix, 1994.

GUERREIRO, L. A educação e o sagrado: a ação terapêutica do educador. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003.

ILLICH, I. Sociedade sem escolas. Petrópolis: Vozes, 1973.

JOSSO, C. Da formação do sujeito... ao sujeito da formação. In: N? VOA, A.; FINGER, M. (Org.). O

método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988. p. 35-49.

KRAMER, S. Por entre as pedras: arma e sonho na escola. São Paulo: Ática, 1993.

LA TAILLE, Y.; OLIVEIRA, M. K.; DANTAS, H. Piaget, Vygotsky e Wallon: teorias psicogenéticas em

discussão. São Paulo: Summus, 1992.

LIB? NEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo:

Loyola, 1985.

______. As teorias pedagógicas modernas revisitadas pelo debate contemporâneo na Educação. In:

LIB? NEO, J. C.; SANTOS, A. (Org.). Educação na era do conhecimento em rede e transdisciplinaridade. Campinas:

Alínea, 2005. p. 19-62

MACEDO, L. Ensaios construtivistas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1994.

MORAES, M. C. O paradigma educacional emergente. Campinas: Papirus, 1997.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. 2. ed. Lisboa: Instituto Piaget, 1995.

______. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2000 (a).

______. A cabeça bem-feita. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000 (b).

______. O método 5 ? A humanidade da humanidade: a identidade humana. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2003.

N? VOA, A. A formação tem que passar por aqui: as histórias de vida no Projeto Prosalus. In: N? -

VOA, A.; FINGER, M. (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988.

p. 107-129.

N? VOA, A. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. [s.l.]: Porto Ed., 1995.

N? VOA, A.; FINGER, M. (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988OLIVEIRA, Z. M. et al. Creches: crianças, faz de conta & cia. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do

Psicólogo, 1999.

PENIN, S. O cotidiano e a escola: a obra em construção. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1989.

RODRIGUES, N. Por uma nova escola: o transitório e o permanente na educação. São Paulo: Cortez;

Autores Associados, 1985.

ROM? O, J. E. Dialética da diferença: o projeto da Escola Cidadã frente ao projeto pedagógico neoliberal.

Tese (Doutorado em Educação)? Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

SANTOS NETO, E. Educação transpessoal: a dinâmica de pessoal e do transpessoal na ação pedagógica e

na formação de professores a partir do pensamento de Stanislav Grof. São Paulo: PUC/SP, 1998 (Tese

de Doutorado).

______. Vidas de educadores: contexto de sua nova emergência, relato de uma aproximação e fundamentos

para seu uso na formação de professores e na investigação. In: Educação & Linguagem, ano 4, n. 4 (Edição

Especial), São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, p. 19-44, jan./dez. 2001.

______. Educação e complexidade: pensando com Dom Bosco e Edgar Morin. São Paulo: Salesiana, 2002.

______. Por uma Educação Transpessoal: a ação pedagógica e o pensamento de Stanislav Grof. Rio de

Janeiro Lucerna; São Bernardo do Campo: Metodista, 2006.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 21. ed. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1989.

SEVERINO, A. J. Educação, ideologia e contra-ideologia. São Paulo: EPU, 1986.

SILVA, J. M. A autonomia da escola pública: a re-humanização da escola. Campinas: Papirus, 1996.

SNYDERS, G. Escola, classe e luta de classes. Lisboa: Moraes, 1977.

WEFFORT, M. F. Observação, registro, reflexão: instrumentos metodológicos I. 2. ed. São Paulo: Espaço

Pedagógico, 1996.

Downloads

Publicado

2018-03-22

Como Citar

NETO, E. dos S. Construção (auto)biográfica e formação de educadores: um olhar desde uma perspectiva transpessoal. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 95–114, 2018. DOI: 10.26843/v2.n2.2009.557.p95 - 114. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/557. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos