Educação Matemática e a Formação de Professores para uma Prática Docente Significativa

Autores

  • Joana Pereira Sandes Professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF).
  • Geraldo Eustáquio Moreira Professor Adjunto da Universidade de Brasília - UnB.

DOI:

https://doi.org/10.26843/v11.n1.2018.49.p99%20-%20109

Palavras-chave:

Educação Matemática, Formação inicial, Formação continuada, Prática docente, Aprendizagem significativa.

Resumo

RESUMO

Este artigo trata da formação inicial de professores de Matemática e como essa formação mostra- -se deficitária para a realização de um trabalho pedagógico de qualidade em sala de aula, o que impossibilita que os alunos sejam contemplados com um ensino de qualidade que os prepare para os desafios cotidianos, ou seja, para vivenciarem uma Matemática que extrapola os muros da escola, a Matemática que se usa na vida. Trata-se de um texto assentado nos preceitos da aprendizagem significativa. Inicialmente, refletimos sobre a formação inicial docente e a Educação Matemática, buscando discutir a aprendizagem perante as novas exigências para a área. De seguida, trazemos para o debate a formação continuada em Educação Matemática, discutida, aqui, como apoio para a constituição desse sujeito que ensina e aprende Matemática, que é parte essencial do nosso sistema educacional. Além disso, a prática docente foi apresentada como parte imprescindível para o processo de construção do conhecimento matemático nos diversos níveis de ensino. Nossas considerações sobre a temática, em parte, vão ao encontro daquilo que distintos investigadores da Educação Matemática vêm martelando como, por exemplo, o fato de a imensa maioria dos professores de Matemática não ter recebido uma formação inicial consistente; o fato de a formação contínua ser um meio de não só corrigir eventuais falhas na formação inicial, mas de preparar para os desafios constantes da sala de aula de Matemática; e as novas necessidades, assentadas na situação em que vivemos, exigirem um professor preparado para enfrentar, além das demandas específicas da área, situações adversas que permeiam e influenciam no desenvolvimento de uma aula de Matemática para a cidadania, entre outros.

PALAVRAS-CHAVE: EDUCA

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana Pereira Sandes, Professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF).

Doutoranda e Mestra Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Brasília (UnB), com principal atuação na Educação Infantil e Ensino Fundamental. Professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF).

Geraldo Eustáquio Moreira, Professor Adjunto da Universidade de Brasília - UnB.

Doutor em Educação Matemática pela PUC de São Paulo, com Estágio Doutoral no Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho (Portugal); Mestre em Educação pela UCB e Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela UNICLAR. ? licenciado em Ciência (UEG), em Matemática (UNOESTE/SP) e em Pedagogia (Instituto Superior Fátima/DF). ? Professor Adjunto da Universidade de Brasília - UnB, atuando, principalmente, nas Licenciaturas. ? Professor/Pesquisador da Pós-Graduação, níveis Mestrado e Doutorado, dos Programas de Educação (PPGE) e Gestão Pública (PPGP), ambos da UnB.

Referências

ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos; ALVES, Leonor Pessate. (Orgs.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em sala de aula. Joinville: UNIVILLE, 2006

ARRUDA, Tatiana Santos. A Criatividade no Trabalho Pedagógico do Professor e o Movimento em sua Subjetividade. 271f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade de Brasília/Programa de Pós-Graduação em Educação. Brasília, 2014.

AUSUBEL, David Paul. The Psychology of meaningful verbal learning. New York, Grune and Stratton, 1963.

________. Educational Psychology: a cognitive view. New York, Holt, Rinehart and Winston, 1968.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

________. Pró-Letramento: Mobilização pela Qualidade da Educação. Brasília: SEB, SEED, 2007.

________. Pró-Letramento: Programa de Formação Continuada de Professores dos Anos/Séries Iniciais do Ensino Fundamental: Matemática ? Secretaria de Educação Básica ? Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2008.

BROUSSEAU, Guy. Os diferentes papéis do professor.In: PARRA, Cecília; SAIZ, Irma (Org.). Didática da Matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre: artmed, 2008.

CURADO SILVA, Kátia Augusta Pinheiro Cordeiro. Professores com formação Stricto Sensu e o desenvolvimento da pesquisa na Educação Básica da Rede Pública de Goiânia: Realidade, entraves e possibilidades. 2008. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Goiás/Programa de Pós-Graduação em Educação. Goiânia, 2008.

D? AMBR? SIO, Ubiratan. Desafios da Educação Matemática no novo milênio. Educação Matemática em Revista, n. 11, São Paulo, 2001.

FIORENTINI, Dario. A Educação Matemática enquanto campo profissional de produção de saber: a trajetória brasileira. Revista Tecno-Científica DYNAMIS, volume 2, número 7, 1994.

________. A Pesquisa e as Práticas de Formação de Professores de Matemática em face das Políticas Públicas no Brasil. Boletim de Educação Matemática, n. 21, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

GARNICA, Antonio Vicente M. História Oral e Educação Matemática. In: BORBA, Marcelo C.; ARA? JO, Jussara de L. (Org.). Pesquisa qualitativa em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LORENZATO, Sergio. (Org.). O Laboratório de ensino de Matemática na formação de professores. Campinas: Autores Associados, 2006.

________. Para aprender Matemática. 2ª Edição. Campinas: Autores Associados, 2008.

MANRIQUE, Ana Lúcia; MOREIRA, Geraldo Eustáquio; MARANH? O, Maria Cristina Souza de Albuquerque. Desafios da Educação Matemática Inclusiva: Formação de Professores. Volume I. São Paulo: Editora Livraria da Física, (2016a).

________. Desafios da Educação Matemática Inclusiva: Práticas. Volume II. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2016b.

MOREIRA, Geraldo Eustáquio. Resolvendo problemas com alunos com Transtornos Globais do Desenvolvimento: desafios e conquistas. Educação Matemática em Revista-RS, v. 01, n. 15, 2014.

________. A Educação Matemática Inclusiva no contexto da Pátria Educadora e do novo PNE: reflexões no âmbito do GD7. Educação Matemática Pesquisa. São Paulo, v. 17, n. 3, 2015.

________. O ensino de Matemática para alunos surdos: dentro e fora do texto em contexto. Educação Matemática Pesquisa. Vol. 18, nº 2. São Paulo, 2016.

MOREIRA, Geraldo Eustáquio; MANRIQUE, Ana Lúcia. Challenges in Inclusive Mathematics Education: Representations by Professionals Who Teach Mathematics to Students with Disabilities. Creative Education, 5, 470-483, 2014c.

MUNIZ, Cristiano Alberto. Educação e linguagem matemática. Brasília: Universidade de Brasília. Centro de Educação a distância, 2009.

N? VOA, Antônio (coord.) Os professores e sua formação. Lisboa-Portugal, Dom Quixote, 1995.

PONTE, João Pedro da. A vertente profissional da formação inicial de professores de Matemática. Educação Matemática em Revista ? SBEM, Ano 9, nº 11, abril, pp. 3-8, 2002.

POZO, Juan Ignacio. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Trad.: Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2002.

ROGERS, Carl R. Tornar-se pessoa. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

SANTOS, Júlio César Furtado dos. Aprendizagem Significativa: modalidades de aprendizagem e o papel do professor. Porto Alegre: Mediação, 2008.

SANTOS Marilene Xavier. A formação em serviço no PNAIC de professores que ensinam Matemática e construções de práxis pedagógicas. 135f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de Brasília/Programa de Pós-Graduação em Educação. Brasília, 2017.

SMOLE, Kátia Cristina Stocco. A Matemática na Educação Infantil. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

SCH? N, Donald Allan. O Profissional Reflexivo: como os profissionais pensam em ação. Londres: Temple Smith, 1983.

Downloads

Publicado

2018-01-01

Como Citar

SANDES, J. P.; MOREIRA, G. E. Educação Matemática e a Formação de Professores para uma Prática Docente Significativa. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 99–109, 2018. DOI: 10.26843/v11.n1.2018.49.p99 - 109. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/49. Acesso em: 23 abr. 2024.