Grau de consciência ambiental de alunos do ensino técnico: a realidade do colégio Marquês de Olinda (Guarujá

Autores

  • Amaro Araújo Lima Neto UCS
  • José Alberto Carvalho dos Santos Claro UMSP
  • Camila Papa Lopes UMS

DOI:

https://doi.org/10.26843/v7.n2.2014.482.p277%20-%20290

Palavras-chave:

Educação ambiental, Consciência ecológica, Consumo de recursos naturais, Inclusão Social.

Resumo

 

Resumo

O presente trabalho identifica o grau de consciência ambiental e consumo ecológico nos alunos de cursos técnicos no Colégio Marquês de Olinda, no município de Guarujá, litoral do Estado de São Paulo, e traz reflexões sobre a inclusão social e a educação ambiental. Foi realizado survey com os alunos do colégio em análise e adotou-se o método de mensuração do Grau de Consciência Ambiental proposto por Possamai e Bertolini (2005), elaborado para identificar a conscientização ecológica dos consumidores e do consumidor ecologicamente correto. Os resultados obtidos mostraram que, mesmo tendo um grau de conscientização ambiental elevado, os alunos ainda não agem de forma ecologicamente correta.

Palavras-chave: Educação ambiental;Consciência ecológica;Consumo de recursos naturais;Inclusão Social.

Level of environmental conscience of technical school students: reality of The Marquês de Olinda school (GUARUJÁ-SP)

Abstract

This paper identifies the degree of environmental awareness and ecological consumption in students of technical courses in the College Marquis of Olinda, in the city of Guaruja, coast of São Paulo, and reflects on social inclusion and environmental education. Survey was conducted with students of the college in question and adopted the method of measuring the degree of environmental consciousness proposed by Possamai e Bertolini (2005) designed to identify the environmental awareness of consumers and consumer eco-friendly. The results showed that even with a high degree of environmental awareness, students still do not act in an ecologically correct way.

Key-words: Environmental Education;Ecological Awareness;Consumption of Natural Resources; Social Inclusion.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABEP. Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, Critério de Classificação Econômica Brasil. 2010. Disponível em: < http://www.abep.org/new/ >. BEZERRA, T. M. O.; GON? ALVES, A. A. C. Concepções de meio ambiente e educação ambiental por professores da Escola Agrotécnica Federal de Vitória de Santo Antão-PE. 2007, v. 20, n. 3, p. 115-125, 2007. Disponível em: < https:// periodicos.ufsc.br/index.php/biotemas/ article/view/20679 >. BORGES, F., et al. Percepções de professores portugueses do 1º ciclo do ensino básico sobre a abordagem da educação ambiental na escola. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 11, n. 1, p. 187-202, 2012. BRANDALISE, L. T. A percepção do consumidor na análise do ciclo de vida do produto: um modelo de apoio à gestão empresarial: Cascavel: Edunioeste. 2008. BUTZKE, I. C., et al. Sugestão de indicadores para avaliação do desempenho das atividades educativas do sistema de gestão ambiental: SGA da Universidade Regional de Blumenau ? FURB. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 13, Abr./Maio/Jun. 2001. CARVALHO, I. Invenção ecológica: Porto Alegre: UFRGS. 2001. CARVALHO, I. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico: São Paulo: Cortez. 2004. DIAS, G. F. Atividades interdisciplinares de educação ambiental: São Paulo: Global e Gaia. 1994. GOTTLIEB, D., et al. Analyzing the ecological footprint at the institutional scale ? The case of an Israeli highschool. Ecological Indicators, v. 18, p. 91- 97, 2012. Disponível em: < http://www. sciencedirect.com/science/article/pii/ S1470160X11003517 >. JESUS, C. P., et al. Educação ambiental: Manaus: UEA 2007. MACHADO, P. R. M.; MULLER, C. Caminhada na natureza: prática alternativa de educação física escolar para fins de educação ambiental. Machado & Muller: Monografias Ambientais, v. 4, n. 4, p. 749- 757, 2011. MANGUNJAYA, F. M. Developing Environmental Awareness and Conservation Through Islamic Teaching. Journal of Islamic Studies, v. 22, n. 1, p. 36-49, January 2011. Disponível em: < http://jis.oxfordjournals.org/content/22/1/36.abstract >. MEADOWS, D. L., et al. Os limites do crescimento: São Paulo: Perspectiva. 1972. MEDINA, N. M. Experiências em educação ambiental: Rio Grande do Sul: Pallotti. 1998. v.1. MOREIRA, I. D. C. A inclusão social e a popularização da ciência e tecnologia no Brasil. Inclusão Social, Brasília, v. 1, n. 2, p. 11-16, Abr./Set. 2006. Disponível em: < http://www.brapci.inf.br/_repositorio/2010/05/pdf_902e1c4efd_0010235.pdf >. 290 Lima Neto AA, Claro JACS, Lopes CP. Grau de consciência ambiental de alunos do ensino técnico: a realidade do Colégio Marquês de Olinda (Guarujá? SP) NASCIMENTO, R. G. A educação ambiental no ensino fundamental e médio das escolas brasileiras. 2011. 21 f. Monografia, Brasília: Consórcio Setentrional de Educação a Distância, Universidade de Brasília, Universidade Estadual de Goiás, 2011. OLIVEIRA, E. F. T.; GRÁCIO, M. C. C. Análise a respeito do tamanho de amostras aleatórias simples: uma aplicação na área de Ciência da Informação. Revista de Ciência da Informação, v. 6, n. 3, Jun. 2005. Disponível em: < http://www.dgz. org.br/ago05/Art_01.htm >. PÁDUA, S.; TABANEZ, M. Educação ambiental: caminhos trilhados no Brasil: São Paulo: Ipê. 1998. POSSAMAI, O.; BERTOLINI, G. R. F. Proposta de instrumento de mensuração do grau de consciência ambiental, do consumo ecológico e dos critérios de compra dos consumidores. Revista de Ciência & Tecnologia, v. 13, n. 25/26, p. 17-25, 2005. Disponível em: < http://www.unimep.br/ phpg/editora/revistaspdf/rct25art02.pdf >. POTTER, G. Environmental education for the 21st century: where do we go now? The Journal of Environmental Education, v. 41, n. 1, p. 22-33, 2009/10/14 2009. Disponível em: < http://dx.doi. org/10.1080/00958960903209975 >. Acesso em: 2014/10/14. REIGOTA, M. Desafios à educação ambiental escolar. In: JACOBI, P. Educação, meio ambiente e cidadania: reflexões e experiências. São Paulo: SMA, 1998. SANTOS, A. Educação ambiental: um desafio na formação de novos cidadãos. 2011. 23 f. Monografia, Brasília: Consórcio Setentrional de Educação a Distância, Universidade de Brasília, Universidade Estadual de Goiás, 2011. SERRANO, C. M. L. Educação ambiental e consumerismo em unidades de ensino fundamental de Viçosa-MG. 2003. 91f. (Dissertação ). Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2003. UNESCO. Educating for a sustainable future: a transdisiplinary vision of concerted action. Internacional Conference. 8-12 December. Thessaloniki, 1997. p. Disponível em: http://www.unesco.org/ education/tlsf/mods/theme_a/popups/ mod01t05s01.html VYGOTSKY, L. A Formação social da mente: São Paulo

Downloads

Publicado

2018-01-04

Como Citar

NETO, A. A. L.; CLARO, J. A. C. dos S.; LOPES, C. P. Grau de consciência ambiental de alunos do ensino técnico: a realidade do colégio Marquês de Olinda (Guarujá. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 277–290, 2018. DOI: 10.26843/v7.n2.2014.482.p277 - 290. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/482. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos