Enfermagem e docência: uma reflexão sobre como se articulam os saberes do enfermeiro professor

Autores

  • Maria Jacinta Gomes Braga
  • Lucia Villas Bôas

DOI:

https://doi.org/10.26843/v7.n2.2014.480.p256%20-%20267

Palavras-chave:

Docentes de enfermagem, Prática do docente de enfermagem, Programas de graduação em enfermagem.

Resumo

Resumo

O objetivo desse artigo é apresentar e discutir a articulação dos saberes entre docência e enfermagem pelo viés da identidade profissional. A experiência no magistério para o docente enfermeiro tem se configurado num espaço rico em formação oriundo dos conhecimentos gerados pelo modo como ele se apropria do

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARANTES, C. I. S. Saúde Coletiva: os (des)caminhos da construção do ensino de Enfermagem. 1999. 202f. (Tese). Säo Paulo: Universidade de Säo Paulo. Escola de Enfermagem 1999. ARA? JO, F. F. Formação do Enfermeiro: cuidar de outrem, cuidar de si. 2008. 127f. (Dissertação). São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2008. BAGNATO, M. H. S.; MONTEIRO, M. I. Perspectivas interdisciplinar e rizomática na formação dos profissionais da saúde. Trabalho, Educação e Saúde, v. 4, n. 2, p. 247-258, 2006. BARDIN, L. Análise de conteúdo: Portugal: Edições 70. 2011. BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Enfermagem. Homologada em 07/11/2001, Parecer CNE/CES 1133/2001. Brasília: Ministério da Educação, 2001. Disponível em: < http://portal.mec.gov. br/cne/arquivos/pdf/Enf.pdf >. CUNHA, M. I. Diferentes olhares sobre as práticas pedagógicas no ensino superior: a docência e sua formação. Educação (Porto Alegre), v. 3, n. 54, p. 525-536, 2004. ERDMANN, A. L., et al. Panorama da educação em enfermagem no Brasil: graduação e pós-graduação. Enfermagem em foco, v. 2, p. 89-93, 2011. FERNANDES, J. D.; REBOU? AS, L. C. Uma década de Diretrizes Curriculares Nacionais para a graduação em Enfermagem: avanços e desafios. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 66, p. 95-101, Set. 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034- -71672013000700013&nrm=iso >. FERREIRA J? NIOR, M. A. Os reflexos da formação inicial na atuação dos professores enfermeiros. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 61, n. 6, p. 866-871, Dez. 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034- -71672008000600012&nrm=iso >. FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo.3.ed. Brasília: Liber Livros 2008. HIDALGA, W. A. Engenheiros professores: uma primeira aproximação de suas concepções sobre os saberes docentes. 2006. 99f. (Dissertação). São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2006. LAMBERTI, F. L. Profissional arquiteto e professor arquiteto: uma discussão da Docência universitária. 2008. 133f. (Dissertação). São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2008. MASETTO, M. T. Competência pedagó- gica do professor universitário.3.ed. São Paulo: Summus. 2003. MERIGHI, M. A. B. Reflexões sobre a docência de enfermagem em uma universidade pública. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 32, n. 1, p. 80-83, Abr. 1998. Disponí- vel em: < http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S0080- -62341998000100012&nrm=iso >. NUNES, C. História da educação e comparação: algumas interrogações. In. Educação no Brasil: história e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados, 2001. PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. G. C. Docência no ensino superior.2.ed. São Paulo: Cortez. 2005. SILVA, J. C. O distanciamento na relação enfermeiro ? paciente: o cuidado e sua dimensão educativa em análise. 2006. 108f. (Dissertação). São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2006. SOBRAL, F. R.; CAMPOS, C. J. G. Utilização de metodologia ativa no ensino e assistência de enfermagem na produção nacional: revisão integrativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 46, n. 1, p. 208-218, Fev. 2012. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080- -62342012000100028&nrm=iso >. TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional.12.ed. Petrópolis, RJ: Vozes. 2011. TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas: Petrópolis, RJ: Vozes. 2005. TARDIF, M.; RAYMOND, D. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, v. 21, n. 73, p. 209-244, Dez. 2000. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101- -73302000000400013&nrm=iso >. TOMOSAUSKAS, M. R. G. De médico especialista a professor de medicina: a construção dos saberes docentes. 2003. 134f. (Dissertação). São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2003. VANDERLEI, M. O. T. O discurso sobre a prática: o processo de formação do professor do ensino superior sem a formação pedagógica. 2012. 110f. (Dissertação). São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2012.

Downloads

Publicado

2018-01-04

Como Citar

BRAGA, M. J. G.; BÔAS, L. V. Enfermagem e docência: uma reflexão sobre como se articulam os saberes do enfermeiro professor. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 256–267, 2018. DOI: 10.26843/v7.n2.2014.480.p256 - 267. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/480. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos