Indisciplina: representações sociais de uma comunidade escolar da cidade de São Paulo

Autores

  • Cristina Munhaes Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.
  • Adelina Novaes Universidade Cidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.26843/v10.n1.2017.16.p101%20-%20116

Resumo

Ao considerar a indisciplina escolar como um dos fatores que contribuem para provocar a exclusão, promovendo uma educação de desigualdade e falta de equidade, seja por renegar o direito do aluno, colocando-o à margem do processo educativo, seja pela pressão para que o mesmo se evada do ambiente escolar, o que é considerado crime de responsabilidade da escola e de seus profissionais, de acordo com a Legislação Brasileira. O estudo ora relatado teve por objetivo oferecer subsídios que possibilitem a reflexão sobre as práticas educativas, relações interpessoais dos profissionais da educação no enfrentamento de tal problemática, a partir de uma proposta de uma educação democrática. Tendo adotado a perspectiva psicossocial da Teoria das Representações Sociais, a pesquisa recorreu à revisão da literatura e à coleta de informações de 107 estudantes, 42 professores e 5 inspetores de alunos do Ensino Médio, de uma escola pública estadual, localizada na Região Leste da Cidade de São Paulo. Para tal, foram utilizados questionários a fim de traçar o perfil socioeconômico-cultural dos respondentes, que possibilitaram uma visão panorâmica dos sujeitos que frequentam a escola, com suas características pessoais e interesse cultural.  Foram empregados também questionários que recorreram à técnica de associação livre a partir da palavra Indisciplina, combinando à da análise de conteúdo de respostas obtidas por meio questões dissertativas, com o objetivo de compreender quais são as representações sociais que os grupos elencados da comunidade escolar possuem sobre a indisciplina escolar e assim sugerir caminhos possíveis de serem trilhados no intuito de contribuir para a inclusão dos alunos rotulados como indisciplinados. Os resultados da análise das respostas dadas indicam que os grupos compartilham, em relação às representações sociais sobre a indisciplina escolar, de um elemento nuclear, o respeito às regras impostas, o que significa que não se está formando para a autonomia. Evidenciou-se com a pesquisa que as representações de disciplina (e de indisciplina) para os grupos pesquisados voltam-se para a presença da ordem, da obediência às regras, sendo estes pontos essenciais para que exista a disciplina no ambiente escolar. Contudo, o estudo também demonstrou a indisciplina escolar como um fenômeno complexo, e que muitos são os fatores que contribuem para sua ocorrência, isso se nota pelas representações tanto de professores e de inspetores, quanto de alunos, que não apontam para uma única direção.

Palavras-chave: Indisciplina escolar;Representações Sociais;Formação de profissionais da educação. 

SCHOOL INDISCIPLINE: SOCIAL REPRESENTATIONS IN A SCHOOL COMMUNITY IN S

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristina Munhaes, Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.

Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Guarulhos (1994) e graduação em Educação Artística pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo (1990). Tem experiência na área de Educação, dedicando-se à docência no período de 1988-2001 e como Diretora de Escola desde 2002. 

Adelina Novaes, Universidade Cidade de São Paulo

Docente/pesquisadora do Programa de Mestrado Acadêmico em Educação e do Mestrado Profissional Formação de Gestores Educacionais da Universidade Cidade de São Paulo; pesquisadora do Departamento de Pesquisas Educacionais da Fundação Carlos Chagas.

Referências

ABRIC, Jean-Claude. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A.S.P. e OLIVEIRA, D. C. (Orgs). Estudos Interdisciplinares de Representação Social. 2 ed. Goiânia: AB, 2000.

ABRIC, Jean-Claude. O estudo experimental das representações sociais. In: JODELET, D. (org). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001.

ALMEIDA, Julio G.; NHOQUE, Janete R. Autoavaliação institucional: a mobilização da comunidade na definição de indicadores de qualidade. Anais do III Congresso Nacional de Avaliação em Educação: III CONAVE. Bauru. CECEMCA/UNESP, 2014, pp. 1 - 12.

APPLE, Michael W. Ideologia e currículo; trad. Vinicius Figueira. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

AQUINO, Julio R.G. A desordem na relação professor-aluno: indisciplina, moralidade e conhecimento. In: AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 39-55.

ARA? JO, Ulisses F. Moralidade e indisciplina: uma leitura possível a partir do referencial piagetiano. In: AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p.103-115.

ARA? JO, Ulisses F. A construção de escolas democráticas: histórias sobre complexidade, mudanças e resistências. São Paulo: Moderna, 2002.

BATAGLIA, Patrícia U.R.; MORAIS, Alessandra; LEPRE, Rita M. A teoria de Kohlberg sobre o desenvolvimento do raciocínio moral e os instrumentos de avaliação de juízo e competência moral em uso no Brasil. Estudos de Psicologia, v. 15, n. 1, p.25-32, jan/abr. 2010. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/epsic/v15n1/04.pdf >Acesso em: 21 abr. 2017.

BATES, Thomas R. Gramsci and the Theory of Hegemony. Journal of the History of Ideas, XXXVI, abr/jun, 1975.

BIAGGIO, Angela Maria Brasil. Kohlberg e a ? Comunidade Justa? ?: promovendo o senso ético e a cidadania na escola. Psicologia: reflexão e crítica, Porto Alegre, v. 10, n. 1, 1997. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttex&pid=S0102-79721997000100005&Ing=en&nrm=iso>. Acesso em 21 abr. 2017.

BOFF, Leonardo. ? tica e moral: a busca dos fundamentos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

CARVALHO, José S.F. Os sentidos da indisciplina. In: AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 129-138.

COMENIO, João A. Didática Magna. 4. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1976.

D? ANTOLA, Arlette. Disciplina Democrática na escola. In: D? ANTOLA, A. (org). Disciplina na escola: autoridade versus autoritarismo. São Paulo: EPU, 1989.

DEVRIES, Rheta; ZAN, Betty. A ética na educação infantil. Proto Alegre, RS: Artes Médicas, 1998.

DURKHEIM, ? mile. A educação moral. 2.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

FOUCAULT, Michael. Vigiar e punir: nascimento na prisão. 30. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

FRANCO, Maria Laura P. B. Análise de Conteúdo. Brasília: Liber Livro, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 10ª ed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1981.

GILLY, Michel. As representações sociais no campo da educação. In: JODELET, D. (Org). As representações sociais. Rio de Janeiro/RJ: EdUERJ, 2001.

GUARESCHI, Pedrinho; ROSO, Adriane. Teoria das Representações Sociais ? Sua história e seu potencial crítico e transformador. In: CHAMON, Edna M. Q. O.; GUARECHI, Pedrinho A.; CAMPOS, Pedro H. F. Textos e debates em representação social. Porto Alegre, ABRAPSO, 2014.

GUIMAR? ES, Áurea M. Indisciplina e violência: a ambigüidade dos conflitos na escola. In: AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 73-82.

JODELET, Denise. As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Os contextos dos saberes: representações, comunidade e cultura. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. (Coleção Psicologia Social).

KHOURI, Ivonne. Disciplina x Antidisciplina. In: D? ANTOLA, A. Disciplina na escola: autoridade versus autoritarismo. São Paulo: EPU, 1989. p. 41-47.

KOHLBERG, Lawrence, Stage and sequence: The cognitive development approach to socialization. In D. A. Goslin (Ed.). Handbook of socialization theory. Chicago: Rand McNally, 1969. (p. 347-480).

LA TAILLE, Yves. A indisciplina e o sentimento de vergonha. In: AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 9-23.

MACEDO, Lino de. Disciplina é um conteúdo como qualquer outro. Revista Nova Escola. Ed. Abril, Ago. 2005. Disponível em:<http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/disciplina-conteudo-como-qualquer-outro-431413.shtml>. Acesso em: 18 dez. 2016.

MAFFESOLI, Michel. Dinâmica da violência. São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais, 1987.

MORAES, Antônio L. Disciplina e controle da escola: do aluno dócil ao aluno flexível. 2008. 146f. Dissertação (Mestrado em Educação: Currículo e pedagogias culturais) - Universidade Luterana do Brasil - ULBRA, Canoas,2008. Disponível em:<https://memphis.ulbranet.com.br/BIBLIO/PPGEDUM064.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2017.

MOSCOVICI, Serge. A psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012. (Coleção Psicologia Social).

XXXXX

NETO, Roque C. A; ROSITO, Margaréte M. B. ? tica e moral na educação. Rio de Janeiro: Wak Ed., 2009.

PASSOS, Laurizete F. A indisciplina e o cotidiano escolar: novas abordagens, novos significados. In: AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 117-127.

PIAGET, Jean. O juízo moral na criança. São Paulo: Summus, 1994.

PRYJMA, Leila C. Leitura: representações sociais de professores de uma rede municipal de ensino. 2011. 146 f. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Educação) ? Universidade Estadual de Londrina< Centro de Comunicação e Artes, Programa de Pós-raduação em Educação, 2011. Disponível em: <http://www.uel.br/pos/mestredu/images/stories/downloads/dissertacoes/2011/2011_-_PRYJMA_Leila_Cleuri.pdf>. Acesso em: 24 dez. 2016.

PUIG, Josep et al. Democracia e participação escolar. São Paulo: Moderna, 2000.

REGO, Teresa C. R. A indisciplina e o processo educativo: uma análise na perspectiva vygotskiana. In: AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 83-101.

SÁ, Celso P. A Construção do Objeto de Pesquisa em Representações Sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.

SANTOS, Edvanderson R.; ROSSO, Ademir J. A indisciplina escolar descrita em imagens e metáforas de professores. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 11, n. 24, 2014. Disponível em: <http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/view/775>. Acesso em: 26 ago. 2016.

SCHMIDT, L. M.; RIBAS, M.H.; CARVALHO, M.A. A disciplina na sala de aula: educação ou repressão. In: D? ANTOLA, A. Disciplina na escola: autoridade versus autoritarismo. São Paulo: EPU, 1989. p. 29-40.

SILVA, Ana Beatriz B. Mentes inquietas: TDAH: desatenção, hiperatividade e impulsividade. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

SILVA NETO, Cláudio M. (In)disciplina e violência no espaço escolar: aprendizagem e participação como fundamentos da ordem. 2011. 137 f. Dissertação (Mestrado em Educação: Didática teorias de ensino e práticas escolares) ? Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-04082011-151957/pt-br.php>. Acesso em: 19 mai. 2016.

SOUSA, Clarilza Prado; NOVAES, Adelina O. A compreensão da subjetividade na obra de Moscovici. In: ENS, R.T.; VILLAS B? AS, L.P.S.; BEHRENS, M.A. Representações sociais: fronteiras, interfaces e contextos. Curitiba: Champagnat; São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2013.

SPINK, Mary Jane P. O conceito de representação social na abordagem psicossocial. Cadernos de Saúde Pública, v. 9, n. 3, p. 300-308, 1993. Disponível em:<http://www.scielosp.org/pdf/csp/v9n3/17.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2017.

TEIXEIRA, Alcionéia. Cenas de uma escola contemporânea: uma geração indisciplinada ou uma geração de novos sujeitos? 2010. 101f. Dissertação (Mestrado em Educação: Currículo e pedagogias culturais) - Universidade Luterana do Brasil, Canoas, 2010. Disponível em:<https://memphis.ulbranet.com.br/BIBLIO/PPGEDUM123.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2017.

V? RGES, P. (2002). Manuel Evoc2000 ? Ensemble de Programmes Permettant L? analyse des Evocations. Disponível em: <http://tinyurl.com/manualevoc>. Acesso em: 04 set. 2017.

VIANNA, Ilca et al. Dialogando sobre disciplina com Paulo Freire. In: D? ANTOLA, A. (org). Disciplina na escola: autoridade versus autoritarismo. São Paulo: EPU, 1989. p. 1-12.

VINHA, Telma P.; TOGNETTA, Luciene R.P. Considerações sobre as regras existentesnas classes democráticas e autocráticas. Revista Educação Unisinos: São Leopoldo, RS: Universidade do Vale do Rio dos Sinos. v. 10 n. 1. jan/abr 2006, p 45-55. Disponível em: . Acesso em: 27 out. 2016.

Downloads

Publicado

2017-01-01

Como Citar

MUNHAES, C.; NOVAES, A. Indisciplina: representações sociais de uma comunidade escolar da cidade de São Paulo. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 10, n. 1, p. 101–116, 2017. DOI: 10.26843/v10.n1.2017.16.p101 - 116. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/16. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos