Fundamentos antropológicos da arte-educação: por um pharmakon na didaskalia artesã

Autores

  • Marcos Ferreira-Santos USP

DOI:

https://doi.org/10.26843/v3.n2.2010.159.p59%20-%2097

Palavras-chave:

Arte-educação, hermenêutica simbólica, imaginário, existencialismo, religiosidade

Resumo

Resumo

O artigo trata dos fundamentos antropológicos da arte-educação sob o prisma de uma mudança paradigmática, na clave interpretativa da hermenêutica simbólica e da aprendizagem pela experiência (uma maestria artesã, didaskalia). Este contexto complexo nos remete à dimensão da religiosidade que se oculta nas formas artesanais da educação. Isto é, na construção cotidiana e experimental das práticas educativas sem modelos apriorísticos e, dessa forma, abertos à existência em seu fluxo dinâmico e imprevisível. Neste sentido, procura-se entender o fenômeno bioantropológico do

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEXANDRIAN, Sarane. O surrealismo. São Paulo: Verbo/Edusp, 1976. AMOROSINO, Cristiane. A pessoa portadora de surdez através de uma visão musicoterapêutica: relato de caso. Ribeirão Preto: Unaerp, 1998. (Projeto de pesquisa).

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: ensaio sobre a imaginação da matéria. São Paulo: Martins Fontes, 1989. BACHELARD, Gaston. O ar e os sonhos: ensaio sobre a imaginação do movimento. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época de suas técnicas de reprodução. In: A ideia de cinema. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

BERDYAEV, N. A. Esprit et Liberté: essay de Philosophie Chrétienne. Paris: ? ditions Je Sers, 1933.

BERDYAEV, N. A. Cinq Meditations sur l? Existence. Paris: Fernand Aubier, ? ditions Montaigne, 1936.

BRITO, Ronaldo (1980). O moderno e o contemporâneo: o novo e o outro novo. In: Arte brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Funarte, 1980. (Caderno de Textos I).

B? RGER, Peter. O declínio da era moderna. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n 20, mar. 1988.

CASSIRER, Ersnt. La Philosophie des Fomes Symboliques. Paris: ? ditions de Minuit, 1973. 3 v.

CASTORIADIS, Cornelius. O dizível e o indizível: homenagem a Maurice Merleau-Ponty. In: As encruzilhadas labirinto. v. I. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

COELHO, Teixeira. Cultura do fim do século é máquina solteira. São Paulo: O Estado de São Paulo, Suplemento Cultura, 1 jan. 1994.

COEN, Monja. Caminhemos: Buda foi ao inferno. Os demônios ao Nirvana... In: FERREIRA-SANTOS, Marcos; GOMES, Eunice Simões Lins (Org.). Educação & religiosidade: imaginários da diferença. João Pessoa: Ed. da UFPB, 2010.

DAMISCH, H. Artes e artista (verbetes). In: Enciclopédia Inaudi. v. 3. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1984.

DEBRAY, Régis. Cours de Médiologie Génèral. Paris: Gallimard, 1991.

DUFRENNE, Mikel. Estética e filosofia. São Paulo: Perspectiva, 1972.

DURAND, Gilbert. A fé do sapateiro. Brasília: Ed. da UnB, 1995. ______. Beaux-Arts et Archétypes: La religion de l? art. Paris: Presses Universitaires de France, 1989. ______. Las Estruturas Antropologicas del Imaginario: Introducción a la Arquetipología General. Madrid: Taurus Ediciones, 1981. (Há tradução brasileira pela Ed. Martins Fontes, 1997).

ECO, Umberto. Tratado geral de semiótica. São Paulo: Perspectiva, 1980.

ELIADE, Mircea. A provação do labirinto. Lisboa: Dom Quixote, 1987. ______. Mito e realidade. São Paulo: Perspectiva, 1972. ______. Tratado de história das religiões. São Paulo: Martins Fontes, 1993

ESPÍNDOLA, Luz Marina. O vestido azul: educação e música na infância ? ressonâncias antropológicas. Dissertação (Mestrado)? Universidade de São Paulo, São Paulo: FEUSP, 2010.

FAVARETTO, Celso. Pós-Moderno na Educação?. Rev. da Faculdade de Educação, v. 17 (1/1), p. 121- 127, jan./dez. 1991.

FERREIRA-SANTOS, Marcos. Cantiga leiga para um rio seco: mito e educação. Aprendizagem e Escola, Suplemento Pedagógico APASE, ano IX, n. 23, São Paulo, abr. 2008, p. 5-8.

______. Crepusculário: conferências sobre mito-hermenêutica & educação em euskadi. 2. ed. Porto Alegre: Zouk, 2005.

______. Mitohermenéutica de la creación: arte, proceso identitário y ancestralidad. In: FERNÁNDEZ-CAO, Marián López. (Org.). Creación y Posibilidad, Aplicaciones del arte en la integración social. Madrid: Fundamentos, 2006. p. 197-242.

______. O olho e a mão: educação e produção simbólica na compreensão mitodológica da sala de aula. São Paulo: Instituto Butantan, texto-base do curso ? Alternativas Mitodológicas em Sala de Aula? ?, 6. Delegacia de Ensino e Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Jahu, 1997.

______. O sagrado e a religiosidade na educação: caminhando com Nikolay Berdyaev. In: FERREIRA-SANTOS, Marcos;

GOMES, Eunice Simões Lins (Org.). Educação & religiosidade: imaginários da diferença. João Pessoa: Editora da UFPB, 2010.

______. Práticas crepusculares: mytho, ciência & educação no Instituto Butantan ? um estudo de caso em antropologia filosófica. Tese (Doutorado)? Universidade de São Paulo, FEUSP, São Paulo, 2 v. ilustr., 1998.

FREITAG, Bárbara. A teoria crítica: ontem e hoje. 4. ed. São Paulo: Brasiliense, 1993.

FREUD, Sigmund. Observações sobre o amor transferencial: novas recomendações sobre a técnica da psicanálise III ? 1915. Rio de Janeiro: Imago, 1974a. (Edição standard, v. 12).

______. Recordar, repetir e elaborar: novas recomendações sobre a técnica da psicanálise II) ? 1914. Rio de Janeiro: Imago, 1974b. (Edição Standard, v. 12).

FREUD, Sigmund; BREUER. Sobre o mecanismo psíquico dos fenômenos histéricos: comunicação preliminar ? 1893. Rio de Janeiro: Imago, 1974. (Edição standard, v. 2).

GIANNOTTI, Sirlene (2008). Dar forma é formar-se: processos criativos da arte para a infância. São Paulo: FEUSP, dissertação de mestrado.

GRASSI, Sonia Maria. A ação terapêutica em oficinas de criatividade sob o enfoque analítico junguiano. Dissertação (Mestrado)? Universidade São Marcos, 2 v., São Paulo, 1997.

GUSDORF, Georges (1953). Mythe et Métaphysique. Paris: Flammarion ? diteur. ______. Professores para quê?. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

HEGEL, G. W. F. Estética: o belo artístico ou o ideal. 3. ed. Lisboa: Guimarães Editores, 1983.

KONDER, Leandro. Walter Benjamin: o marxismo da melancolia. Rio de Janeiro: Campus, 1988. ______. Walter Benjamin: um revolucionário conservador?. São Paulo: O Estado de S. Paulo, Suplemento Cultura, 22 set. 1990.

AFOSSE, Francis. Esquisse de Biographie Intellectuelle. Planète Plus, 17, 11, p. 27, Paris, set. 1970.

LAPLANCHE, J.; PONTALIS, J-B. Vocabulário da psicanálise. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

LEBRUN, Gérard. A mutação da obra de arte. In: Arte e filosofia. Rio de Janeiro: Funarte/INAP, 1983, p. 30-31.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno explicado às crianças. Lisboa: Dom Quixote, 1987. ______. Reécrire la Modernité. In: L? inhumain. Paris: Galilée, 1988.

MAFFESOLI, Michel. A conquista do presente. Rio de Janeiro: Rocco, 1985.

MAGEE, Bryan. As ideias de Popper. São Paulo: Cultrix/Ed. da Universidade de São Paulo, 1973.

MARCUSE, Herbert. Eros e civilização: uma interpretação filosófica do pensamento e Freud. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968.

MARTON, Scarlett. O eterno retorno do mesmo: tese cosmológica ou imperativo ético?. In: NOVAES, Adauto (Org.). ? tica. São Paulo: Secretaria Municipal de Cultura/Companhia das Letras, 1992.

MERLEAU-PONTY, Maurice. A linguagem indireta e as vozes do silêncio. São Paulo: Abril Cultural, 1975a. (Os Pensadores).

______. Fenomenologia da linguagem. São Paulo: Abril Cultural, 1975b. (Os Pensadores).

______. Fenomenologia da percepção. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1971.

______. O homem e a comunicação: a prosa do mundo. Rio de Janeiro: Bloch, 1974.

______. O olho e o espírito. São Paulo: Abril Cultural, 1975c. (Os Pensadores).

______. O visível e o invisível. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992. MORIN, Edgar. A Ciência Está Perdendo a Razão?. São Paulo: Jornal da Tarde, Caderno de Sábado, p. 3, 5 dez. 1992.

______. La Méthode I: La Nature de la Nature. Paris: Editions du Seuil, 1977.

______. O enigma do homem: para uma nova antropologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

MOUNIER, Emmanuel. Introdução aos existencialismos. Lisboa/São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1963.

______. O personalismo. 2. ed. Lisboa/São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1964.

______. Traité du Caractère. Paris: Esprit, ? ditions du Seuil, 1947.

PAULA CARVALHO, José Carlos. A educação fática: construção, vieses e projetividade. São Paulo: FEUSP, digit, 1995.

______. Antropologia das organizações e educação: um ensaio holonômico. Rio de Janeiro: Imago, 1990.

PEIRCE, Charles S. Semiótica e filosofia. São Paulo: Cultrix/Edusp, 1975.

PE? UELA CA? IZAL, Eduardo. Surrealismo: rupturas expressivas. São Paulo: Atual, 1986.

PERRONE-MOIS? S, Leyla. A pintura crítica de Mark Tansey. São Paulo: Folha de S. Paulo, caderno Mais!, 22 jan. 1995.

PESSANHA, J. Américo Motta. As delícias do jardim. In: NOVAES, Adauto (Org). ? tica. São Paulo: Secretaria Municipal de Cultura/Companhia das Letras, 1992.

POPPER, Sir Karl R. Em busca de um mundo melhor. 2. ed. rev. ampl. Lisboa: Editorial Fragmentos, 1989.

RICOEUR, Paul. Interpretação e ideologias (Org. Hilton Japiassú). 3. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988.

SANCHEZ TEIXEIRA, Maria Cecília. Antropologia, cotidiano e educação. Rio de Janeiro: Imago, 1990.

______. Imaginário, cultura e educação: um estudo socioantropológico de alunos de escolas de 1.o grau. Tese de Livre-Docência. São Paulo: FEUSP, 1994.

SANTAELLA, Lúcia. Palavra, imagem & enigmas. In: ? Dossiê Palavra/Imagem? ?, Revista USP, São Paulo: CCS/USP, n. 16, dez./jan./fev. 1993.

______. Por uma classificação da linguagem visual. Face Revista de Semiótica e Comunicação, São Paulo: Educ, v. 2, n. 1, jan./jun., 1989.

SERRES, Michel. Filosofia mestiça: le tiers-instruit. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

SEVERINO, Antonio Joaquim. A contribuição do pensamento de Mounier à reflexão antropológica contemporânea. Rio de Janeiro: Revista Filosófica Brasileira, v. V, n. 1, p. 25-30, jun. 1992.

______. Pessoa e existência: iniciação ao personalismo de Emmanuel Mounier. São Paulo: Cortez, 1983.

SPERB, Cláudia; FERREIRA-SANTOS, Marcos. A serpente no imaginário infantil: arte & ciência na produção artística de crianças. Jacareí: II Encontro Latinoamericano de Arte Infantil, 1998.

VYGOTSKY, Lev S. Pensamento e linguagem. 3. reimpr. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

______. Psychology of Art (1925). Cambridge: The MIT Press, 1971.

Downloads

Publicado

2017-12-15

Como Citar

FERREIRA-SANTOS, M. Fundamentos antropológicos da arte-educação: por um pharmakon na didaskalia artesã. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 59–97, 2017. DOI: 10.26843/v3.n2.2010.159.p59 - 97. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/ambienteeducacao/article/view/159. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos