Hiperestesia dentinária: aspectos de interesse

Luciano Bonatelli Bispo

Resumo

A hiperestesia dentinária cervical se caracteriza como uma manifestação com sintomatologia dolorosa aguda, repentina, localizada e de curta duração, provocada por um estímulo tátil, químico, térmico ou osmótico. Cessa após a remoção e não é provocada em dentes saudáveis por estímulos considerados fisiológicos. Acomete geralmente o terço cervical dos elementos dentários como pré-molares e molares, com exposição da dentina e abertura dos túbulos dentinários após recessão gengival, perda de estrutura cementária ou adamantina, lesões não cariosas, hábitos deletérios, entre outros. Devido à alta prevalência dessa condição na população mundial e queixas frequentes no consultório odontológico, a hiperestesia tem sido exaustivamente estudada. O objetivo deste trabalho, por meio de revisão de literatura, é elucidar a etiologia, diagnóstico diferencial, terapias e efetividade no controle desse problema de saúde pública.

Palavras-chave

Hiperestesia; Dessensibilizantes dentinários; Terapêutica

Texto completo:

PDF

Referências

FILTHER AZ, Schrederhof VCV, Silva MAR, Piemonte MR, Lima CP, Kirchhoff AL, et al. A importância da proteção do complexo dentinho pulpar no restabelecimento dentário. Rev gestão & saúde 2016 14(2):13-9. 2. PEREIRA JC. Hiperestesia dentinária: aspectos clínicos e formas de tratamento. Maxi-Odonto 1995 1(2):1-24. 3. MESQUITA CR, Almeida JCF, Yamaguti PM, Paula LM, Garcia FCP. Hiperestesia dentinária: opções de tratamento. Rev Dent on line 2009 8(18): 29-34. 4. BRANNSTROM M, Astrom A. The hydrodynamics of the dentine; its possible relationship to dentinal pain. Int dent j 1972 Jun; 22(2):219-27. 5. BRAENNSTROEM M, Astroem A. A study on the mechanism of pain elicited from the dentin. J Dent Res 1964 Jul-Aug; 43(619-25. 6. KRÜGER CR. Hipersensibilidade dentinária: mecanismos, permeabilidade e técnicas de dessensibilizaçäo. JBC j bras clin estet odontol 2001 jan.-fev.; 5(25):48-54. 7. QUERIDO MTA, Raslan SA, Scherma AP. Hipersensibilidade dentinária: revisão da literatura. R Periodontia 2010 jun.;20(2):39-46. 8. BANSODE PV, Pathak SD, Wagh SP. Dentin hypersensitivity: revisited. J Evol Medical Dental sciences 2013 2(34):6466-73. 9. ADDY M. Tooth brushing, tooth wear and dentine hypersensitivity--are they associated? Int dent j 2005 55(4 Suppl 1):261-7. 10. FRAGA Silva M, Ginjeira A. Hipersensibilidade dentinária: etiologia e prevenção. Rev Port Estomatol Med Dent Cirur Maxillofac 2011 52(4):217-24. 11. LEVINE RS. Fruit juice erosion--an increasing danger? J dentistry 1973 Dec;2(2):85-8. 12. BISPO LB. Hipersensibilidade dentinária: terapias. Rev Dent On Line 2006 7(14):18-22. 13. DUTRA LC, Seabra EJG, Silva AP, Martins YVM. Lesões dentárias oriundas da oclusão. Rev Univ Vale do Rio Verde 2016 14(1):44-52. 14. DIAS ARC, Dias KRHC, Gonçalves SA, Barceleiro M. Tratamento de lesões cervicais. In: Pereira, JC, Anauate-Netto, C, Gonçalves, SA. Dentística: uma abordagem multidisciplinar. São Paulo: Artes Médicas; 2014. p. 195-212. 15. DAVARI A, Ataei E, Assarzadeh H. Dentin hypersensitivity: etiology, diagnosis and treatment; a literature review. J dentistry (Shiraz, Iran) 2013 Sep;14(3):136-45. 16. CAVALCANTE MS, Pereira TB, Tenório Neto JF, Santos NB, Ribeiro CMB, Batista LHC. Improvement of cervical dentin hypersensitivity after two different treatments. Rev Dor 2015 dez.;16(4): 259-62. 17. GARONE Filho W. Lesões cervicais e hipersensibilidade dentinária. In: Todescan, FF, Bottino, MA. Atualização na clínica odontológica. São Paulo: Artes Médicas; 1996. p.35-73. 18. MATIAS MNA, Leão JC, Menezes Filho PF, Silva CHV. Hipersensibilidade dentinária: uma revisão de literatura. Odontol Clín-Cient (Online) 2010 jul.-set.;9(3):205-8. 19. BLACK GV. A work on operative dentistry: the technical procedures in filling teeth. Chicago: Medico-Dental; 1908. 20. BODECKER C, Applebaum E. Metabolism of the dentine: its relation to dental caries and to treatment of sensitive teeth. Dent Cosmos 1931 73(1):995-1009. 21. DRISKO CH. Dentine hypersensitivity: dental hygiene and periodontal considerations. Int dent j 2002 52(1):385-93. 22. GROSSMAN LI. A systematic method for the treatment of hypersensitive dentin. J Am Dent Assoc 1935 22(4):592-602. 23. ARANHA ACC, Marchi GM. Hipersensibilidade dentinária: aspectos gerais e tratamento. JBC j bras clin odontol integr 2004 mar.-abr. ;8(44):179-84. 24. RÖSING CK, Fiorini T, Liberman DN, Cavagni J. Dentine hypersensitivity: analysis of self-care products. Braz oral res 2009 jun.;23(supl. 1):56-63. 25. BARBOSA LPB, Prado Junior RR, Mendes RF. Lesões cervicais não-cariosas: etiologia e opções de tratamento restaurador. Rev Dentística on line 2009 jan.-mar.;8(18): 26. REBELO D, Loureiro M, Ferreira P, Paula A, Carrilho E. Tratamento médico dentário da hipersensibilidade dentinária: o estado da arte. Rev Port Estomatol Med Dent Cir Maxilofac 2011 52(2):98-106. 27. MARTINEZ-RICARTE J, Faus-Matoses V, Faus-Llacer VJ, Flichy-Fernandez AJ, Mateos-Moreno B. Dentinal sensitivity: concept and methodology for its objective evaluation. Medicina oral, patologia oral y cirugia bucal 2008 Mar 1;13(3): E201-6. 28. TUÑAS ITC, Medeiros UV, Tedesco G, Bastos LF. Erosão dental ocupacional: aspectos clínicos e tratamento. Rev bras odontol 2016 jul.-set.;73(3):206-11. 29. RIBEIRO PJT, Araújo AMP, Mafra RP, Vasconcelos MG, Vasconcelos RG. Mecanismos de ação dos recursos terapêuticos disponíveis para o tratamento da hipersensibilidade dentinária cervical. Odontol Clín-Cient 2016 abr.-jun.;15(2):83-90. 30. ZADO LN, Pilatti GL. Hipersensibilidade dentinária: recentes avanços e tratamentos – revisão de literatura. Periodontia 2016 26(2):28-33. 31. SILVA MF, Perondi PR, Carvalho LR, Araújo BN, Carvalho CF, Quintella BLB, et al. Hipersensibilidade dentinária: desafios para diagnóstico e perspectivas de tratamento. Ver Assoc Paul Cir Dent 2017 71(2):170-4.


Visualizações do PDF:

16 views


Visualizações do Resumo:

52 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
-->
Tema: Mpg. Customizado por: Articloud