Tratamento da má oclusão de classe II através do aparelho de protrusão mandibular (APM): uma revisão da literatura

Márcio Alexandre de Santos, Dênis Clay Lopes dos Santos, Everton Flaiban, Daniel Negrete, Raquel Lopes dos Santos

Resumo

A má oclusão de Classe II pode ser definida como uma relação deficiente entre os arcos dentários, com a cúspide mésio-vestibular do primeiro molar superior ocluindo o espaço entre a cúspide vestibular do pri­meiro molar inferior e a face distal da cúspide vestibular do segundo pré-molar inferior. A arcada inferior se encontra em relação distal com a arcada superior. Assim, este estudo de revisão tem a finalidade de descrever a má oclusão Classe II com vista no tratamento através do APM (Aparelho de Protrusão Mandi­bular), com base em estudos epidemiológicos. O delineamento metodológico aplicado para a realização deste estudo foi uma revisão da literatura. Para a busca dos artigos científicos foram utilizadas a base de dados SciELO e revistas nacionais dos últimos anos. Os descritores utilizados foram: Más oclusões de Classe II, APM (Aparelho de Protrusão Mandibular), ortodontia e tipos de tratamento. O Aparelho de Protrusão Mandibular (APM) apresenta uma grande versatilidade clínica, devido à facilidade de fabricação, confecção e ser de baixo custo. Ao longo dos anos vem sofrendo pequenas modificações, mas com objetivo de me­lhoramento com vista nas vantagens do seu uso, proporcionando conforto ao paciente.

Palavras-chave

Má oclusão de Angle Classe II; Tratamento; Aparelhos ortodônticos

Texto completo:

PDF

Referências

HENRIQUES JFC, Janson G, Hayasaki SM. Parâmetros para a extração de molares no tratamento ortodôntico: considerações gerais e apresentação de um caso clínico. . Rev Dental Press Ortod Ortop Facial 2002 7(1):57-64. 2. ANGLE EH. Classification of malocclusion. Dental Cosmos 1899 41(2):248-64. 3. ANGLE EH. The latest and best in orthodontic mechanism. Dent Cosmos 1928 70(1):1143-58. 4. AMARAL RMP, Gandini Júnior LG, Gandini MREAS, Mello PB. Tratamento da maloclusão de Classe II, Divisão 1, na dentadura mista com aparelho extrabucal removível. Rev Clin Ortod Dental Press 2011 fev.-mar.;10(1):37-43. 5. BRUNHARO IHP, Mendes AM, Quintão CCA, Fernandes ÁFC, Gravina MA. Classe II es¬quelética com excesso maxilar: tratamento ortodôntico em duas fases Rev clín ortodon Dental Press 2006 fev.-mar.;5(1):77-82. 6. JANSON G, Barros SEC, Simão TM, Freitas MR. Variáveis relevantes no tratamento da má oclusão de Classe II. Rev Dent Press Ortodon Ortop Facial, Maringá 2009 ago.;14(4):149- 57. 7. COELHO Filho CM. Mandibular protraction appliances for Class II treatment. J clin or¬thod : JCO 1995 May;29(5):319-36. 8. CALVEZ X. The universal bite jumper. J clin orthod : JCO 1998 Aug;32(8):493-500. 9. QUEIROZ VS, Nouer PRA, Pereira Neto JS, Magnani MBB, Nouer DF. O Índice de prio¬ridade de tratamento ortodôntico (IPTO) nos diferentes tipos faciais. Ortodontia 2008 out.-dez.;41(4):373-81. 10. GUZZO SC, Finkler M, Reibnitz Júnior C, Reibnitz MT. Ortodontia preventiva e inter¬ceptativa na rede de atenção básica do SUS: perspectiva dos cirurgiões-dentistas da prefeitura municipal de Florianópolis. Ciênc saúde coletiva 2014 fev.;19(2):449-60. 11. FRAZÃO P, Narvai PC, Latorre MRDO, Castellanos RA. Prevalência de oclusopatia na dentição decídua e permanente de crianças na cidade de São Paulo, Brasil, 1996. Cad Saúde Pública 2002 out.;18(5):1197-205. 12. PERES KG, Traebert ESA, Marcenes W. Diferenças entre autopercepção e critérios nor-mativos na identificação das oclusopatias. Rev Saúde Pública 2002 abr.;36(2):230-6. 13. TOMITA NE, Bijella VT, Franco LJ. Relação entre hábitos bucais e má oclusão em pré¬-escolares. Rev Saúde Pública 2000 jun.;34(3):299-303. 14. SILVA Filho OG, Freitas SF, Cavassan AO. Prevalência de oclusão normal e má oclusão em escolares da Cidade de Bauru (São Paulo). Parte I: relação sagital. Rev odontol Univ Sao Paulo 1990 abr.-jun.;4(2):130-7. 15. BRESOLIN D. Índices para maloclusões. In: Pinto, VG. Saúde bucal coletiva. São Paulo: Santos; 2000. p. 197-302. 16. BUENO APF. Sistema estomatognático. In: Bueno, APF. Introdução às bases cibernéti¬cas da ortopedia dentofacial. Rio de Janeiro: Europa; 1991. p. 47-56. 17. SCHURT C. Ortopedia funcional dos maxilares. In: Schurt, C. Ortopedia funcional dos maxilares: da polaridade à unicidade. São Paulo: Quintessence. p. 7-18. 18. FORSBERG CM, Tedestam G. Etiological and predisposing factors related to trauma¬tic injuries to permanent teeth. Swedish dental j 1993 17(5):183-90. 19. FREYSLEBENA GR, Peresb MAA, Marcenes W. Prevalência de cárie e CPO-D médio em escolares de doze a treze anos de idade nos anos de 1971 e 1997, região Sul, Brasil. Rev Saúde Pública 2000 jun.;34(3):304-8. 20. MARCENES W, Bönecker MJS. Aspectos epidemiológicos e sociais das doenças bu¬cais. In: Buischi, YP. Promoção de saúde bucal na clínica odontológica. São Paulo: Artes Médicas; 2000. p. 73-98. 21. NARVAI PC, Castellanos RA, Frazão P. Prevalência de cárie em dentes permanentes de escolares do Município de São Paulo, SP, 1970-1996. Rev Saúde Públic 2000 abr.;34(2):196- 200. 22. TULLOCH JF, Phillips C, Koch G, Proffit WR. The effect of early intervention on skeletal pattern in Class II malocclusion: a randomized clinical trial. Am J Orthod Dentofac Or¬thop 1997 Apr;111(4):391-400. 23. FARIA VM, Nogueira PRNR, Shinozaki E, editors. Aparelhos ortopédicos no tratamento das más oclusões de Classe II. VIII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação; 2008; Vale do Paraíba: Universidade do Vale do Paraíba. 24. MORO A, Fuziy A, Freitas MR, Henriques JFC, Janson GRP. O aparelho de Herbst e suas variações. Rev Dental Press Ortodon Ortop Facial 2000 mar./abr.;5(2):35-41. 25. PANCHERZ H. Treatment of class II malocclusions by jumping the bite with the Herbst appliance. A cephalometric investigation. Am J Orthod 1979 Oct;76(4):423-42. 26. VON Bremen J, Pancherz H. Efficiency of early and late Class II Division 1 treatment. Am J Orthod Dentofac Orthop 2002 Jan;121(1):31-7. 27. FRANCO AA. Avaliação dos discos das articulações têmporo mandibulares empregan¬do-se imagens por ressonância magnética em pacientes com oclusão normal e malo¬clusão de classe II, divisão 1, tratados com regulador de função de Frankel [Mestrado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia, Universidade Metodista; 2000. 28. ALVES PFR, Oliveira AG, Silveira CA, Oliveira JN, Oliveira Júnior JN, Coelho Filho CM. Estudo comparativo dos efeitos esqueléticos dentários e tegumentares, promovidos pelo tratamento da má oclusão Classe II mandibular com a aparelho de Herbst e com o Aparelho de Protração Mandibular. Rev clín ortodon Dental Press 2006 fev.-mar.;5(1):105. 29. FREITAS BV, Santos PCF. Correção de má-oclusão de Classe II, Divisão 1, com mordida aberta anterior, utilizando-se aparelho de protração mandibular (APM). Rev Ortodon¬tiaSPO 2008 4(1):27. 30. SIQUEIRA DF, Fuziy A, Furquim LZ, Furquim BDA. Versatilidade clínica do aparelho de protração mandibular pro-odonto ortodontia. Pro-Odonto Orto 2011 5(3):9-74. 31. BICALHO JS, Bicalho RF. Utilização do APM no tratamento da má oclusão de Classe II, 2ª divisão, em paciente adulto. Rev Clín Ortod Dent Press 2007 fev.-mar.;6(1):99-106. 32. FURQUIM BDA, Henriques JFC, Janson G, Siqueira DF, Furquim LZ. Effects of mandibu¬lar protraction appliance associated to fixed appliance in adults. Dental Press J Orthod 2013 out.;18(5):46-52. 33. PANCHERZ H, Anehus-Pancherz M. Facial profile changes during and after Herbst appliance treatment. Eur j orthod 1994 Aug;16(4):275-86. 34. NALBANTGIL D, Arun T, Sayinsu K, Fulya I. Skeletal, dental and soft-tissue changes in-duced by the Jasper Jumper appliance in late adolescence. The Angle orthodontist 2005 May;75(3):426-36. 35. COSTA LA, Suguino R. Aparelho de protração mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho. Rev clín ortodon Dental Press 2006 dez. 2005-jan.;4(6):16-28. 36. SIQUEIRA DF, De Almeira RR, Janson G, Brandao AG, Coelho Filho CM. Dentoskeletal and soft-tissue changes with cervical headgear and mandibular protraction appliance therapy in the treatment of Class II malocclusions. Am J Orthod. Dentofac Orthop 2007 Apr;131(4):447.e21-30. 37. HEINIG N, Goz G. Clinical application and effects of the Forsus spring. A study of a new Herbst hybrid. J orofacial orthopedics 2001 Nov;62(6):436-50. 38. CAPELOZZA Filho L. Padrão II. In: Capelozza Filho, L. Diagnóstico em ortodontia. Ma¬ringá: Dental Press; 2004. p. 147-234.


Visualizações do PDF:

48 views


Visualizações do Resumo:

130 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
-->
Tema: Mpg. Customizado por: Articloud