Perfil dos universitários de odontologia e o impacto da saúde bucal na qualidade de vida dessa população

Tatiana Paiva Moreira Franco, Vicente Canuto da Motta, Antonio Canabarro, Patricia Nivoloni Tannure

Resumo

Objetivou-se identificar as condições de saúde bucal de universitários do curso de odontologia de uma instituição de ensino particular e avaliar o impacto da saúde bucal na qualidade de vida dessa população. A pesquisa foi realizada durante o período de 8 meses e foi composta por universitários de odontologia com interesse em realizar clareamento dentário caseiro. Na anamnese dados sociais, história médica e odontológica, queixa principal, uso de substâncias corantes, tratamento ortodôntico realizado e presen­ça de sensibilidade dentária foram coletados. Ao exame clínico intrabucal observou-se retração gengival, biofilme visível, índice de cárie e fluorose. Os graduandos responderam a um questionário para mensurar o impacto da saúde bucal na qualidade de vida (OHIP14). Quarenta e sete graduandos do curso de odontolo­gia com média de idade de 23,5 anos (dp 5,5) que passaram a infância na capital do Rio de Janeiro (72,5%) e que não apresentavam doenças sistêmicas (87,2%) foram incluídos na amostra. A grande maioria (66%) realizou tratamento ortodôntico, 14,9% apresentavam retração gengival e 36,2% apresentavam biofilme visível no momento do estudo. Uma grande parte da população (44,7%) apresentava dentição hígida e o CPOD foi de 4,13 (±4,5). A fluorose leve ou muito leve afetou 6,4% dos participantes. Observou-se ainda uma boa qualidade de vida (OHIP =4,9 (±5,6)) sem impacto negativo relacionado à saúde bucal. Não houve associação positiva entre o gênero e a dentição hígida e entre biofilme visível e dentição hígida (p>0,05). Foi observada uma associação significativa entre a ausência de tratamento ortodôntico e dentição hígida (p=0,01). Pode-se concluir que, em um número expressivo, os universitários participantes se encontravam saudáveis e com a dentição hígida, entretanto, estavam insatisfeitos em relação à forma, posição e cor dos dentes. Não foi observado impacto negativo na qualidade de vida relacionada à saúde bucal.

Palavras-chave

Serviços de saúde para estudantes; Estudantes de odontologia; Saúde bucal

Texto completo:

PDF

Referências

TSOUROS AD, Dowding G, Thompson J, Dooris M. Health promoting universities: concept, experience and framework for action. Copenhagen: World Health Organiza¬tion; 1998. [Acesso em: 13 nov. 2018]; Disponível em: http://apps.who.int/iris/hand-le/10665/108095. 2. MELLO ALSF, Moysés ST, Moysés SJ. A universidade promotora de saúde e as mudan¬ças na formação profissional. Interface (Botucatu) 2010 set.;14(34):683-92. 3. FREIRE MCM, Martins ÂB, Santos CR, Martins NO, Filizzola EM, Jordão LMR, et al. Con¬dição de saúde bucal, comportamentos, autopercepção e impactos associados em es¬tudantes universitários moradores de residências estudantis Rev odontol UNESP (Onli¬ne) 2012 maio-jun.;41(3):185-91. 4. VEIGA C, Cantorani JRH, Vargas LM. Qualidade de vida e alcoolismo: um estudo em acadêmicos de licenciatura em educação física. Conexões 2016 jan.-mar.;14(1):20-34. 5. GOTTARDO AC, Webber LP, Rossa J, Arossi GA. Perda dental anterior influencia a qua¬lidade de vida relacionada a saúde oral. Rev Iniciação Científica da ULBRA 2015 1(13):60- 70. 6. SISCHO L, Broder HL. Oral health-related quality of life: what, why, how, and future implications. J Dent Res 2011 Nov.;90(11):1264-70. 7. CURY JA, Tenuta LMA. Evidências para o uso de fluoretos em odontologia. Odontol baseada em evidências 2010 2(4):1-18. 8. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Vigilân¬cia em Saúde. SB Brasil 2010: pesquisa nacional de saúde bucal: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2012. [Acesso em: 13 nov. 2018]; Disponível em: http:// bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pesquisa_nacional_saude_bucal.pdf. 9. PETERSEN PE, Kandelman D, Arpin S, Ogawa H. Global oral health of older people-¬-call for public health action. Community dental health 2010 Dec;27(4 Suppl 2):257-67. 10. STEELE JG, Sanders AE, Slade GD, Allen PF, Lahti S, Nuttall N, et al. How do age and tooth loss affect oral health impacts and quality of life? A study comparing two national samples. Community dentistry and oral epidemiology 2004 Apr;32(2):107-14. 11. OLIVEIRA BH, Nadanovsky P. Psychometric properties of the Brazilian version of the Oral Health Impact Profile-short form. Community dentistry and oral epidemiology 2005 Aug;33(4):307-14. 12. SANDERS AE, Spencer AJ, Slade GD. Evaluating the role of dental behaviour in oral health inequalities. Community dentistry and oral epidemiology 2006 Feb;34(1):71-9. 13. SILVA FMM, Nacano LG, Pizi ECG. Avaliação clínica de dois sistemas de clareamento dental. ROBRAC 2012 out.;21(56):473-9. 14. DIMBERG L, Arnrup K, Bondemark L. The impact of malocclusion on the quality of life among children and adolescents: a systematic review of quantitative studies. European journal of orthodontics 2015 Jun;37(3):238-47. 15. BENNADI D, Reddy CV. Oral health related quality of life. Journal of International Socie¬ty of Preventive & Community Dentistry 2013 Jan;3(1):1-6.


Visualizações do PDF:

50 views


Visualizações do Resumo:

109 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
-->
Tema: Mpg. Customizado por: Articloud