Impacto da saúde bucal na qualidade de vida dos pacientes usuários do centro de atenção psicossocial II do Município de Criciúma/SC

Paula Carolina Bernardo Braun, Ranieri Amaral Vieira, Debora Passos Cristiano, Fernanda Guglielmi Faustini Sonego

Resumo

Introdução: Estima-se que milhões de pessoas ao redor do mundo possuem transtornos mentais. Objetivo: Verificar o impacto da saúde bucal na qualidade de vida dos pacientes que frequentam o CAPS II do município de Criciúma/SC. Metodologia: Estudo transversal, quantitativo de análise descritiva, realizado no CAPS II de Criciúma/SC. Utilizou-se um questionário adaptado contendo 11 perguntas sobre o perfil sociodemográfico do paciente e sua saúde bucal, associado a um instrumento denominado Oral Health Impact Profile - 14 (OHIP-14), com 14 questões separadas por 7 dimensões, com 2 perguntas correspondentes a cada dimensão e com valores diferentes a serem multiplicados pela resposta do paciente, em escala de 0 a 4 (sendo 0 = nunca, 1 = raramente, 2 = às vezes, 3 = quase sempre e 4 = sempre). Os valores da soma, para o impacto na qualidade de vida são tidos como fraco de 0 a 9, médio de 10 a 18 e forte entre 19 e 28. Resultados: A maioria da amostra, 78,0% (n=32), do sexo feminino com média de idade de 44,7 anos. Grande parte possuía o ensino fundamental incompleto (46,3%; n=19), enquanto que 22,0% (n=9) tinha o ensino médio completo. Para 39,0% (n=16) dos participantes a saúde bucal tem fraco impacto na qualidade de vida, para 31,7% (n=13) médio e para 29,3% (n=12) forte. Conclusão: O impacto da saúde bucal na qualidade de vida apresentou-se fraco para uma parte dos participantes, porém para outra maior foi classificado de médio a forte ressaltando que a condição bucal influencia diretamente suas vidas

Palavras-chave

Transtornos mentais ; Saúde bucal ; Qualidade de vida

Texto completo:

PDF

Referências

WORLD Health Organization. Mental disorders affect one in four people 2001 [Acesso em: 04 jun. 2018]; Disponível em: http://www.who.int/whr/2001/media_centre/press_ release/en/. 2. BEZARRA Jr. B. Desafios da reforma psiquiátrica no Brasil. Physis: Revista de Saúde Coletiva 2007 17(2):243-50. 3. BRASIL. Ministério Da Saúde. Secretaria De Atenção À Saúde. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde; 2004 [Acesso em: 04 jun. 2018 ]; Disponível em: www.ccs.saude.gov.br/saude_mental/pdf/sm_sus.pdf. 4. BRASIL. Ministério Da Saúde. Centro de Atenção Psicossocial infanto-juvenil - CAPSi 2011 [Acesso em: 04 jun. 2018]; Disponível em: http://www.criciuma.sc.gov.br/site/sistema/saude/caps_i-8. 5. BRASIL. Ministério Da Saúde. CAPS III é reinaugurado quinta-feira em novo endereço: o atendimento no novo local é para 200 pessoas divididas em três modalidades 2012 [Acesso em: 04 jun. 2018]; Disponível em: http://www.criciuma.sc.gov.br/site/noticia/caps_iii_e_reinaugurado_quinta_feira_em_novo_endereco-7393. 6. HERNÁNDEZ Suastegui F, Vivanco Cedeño B. Afecciones bucodentales en pacientes psiquiátricos. Rev ADM 2004 Nov-Dic.;61(6):225-9. 7. SACCHETTO MSLS, Andrade NS, Brito MHSF, Lira DMMP, Barros SSLV. Evaluation of oral health in patients with mental disorders attended at the clinic of oral diagnosis of a public university. Rev odontol UNESP 2013 Oct.;42(5):344-9. 8. CARVALHAES CLL. Avaliação da saúde bucal e impacto na qualidade de vida em pacientes com transtornos mentais atendidos no CAPS/Butantã [Dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Odontologia; 2014. 9. SLACK-SMITH L, Hearn L, Scrine C, Durey A. Barriers and enablers for oral health care for people affected by mental health disorders. Australian dental journal 2017 Mar;62(1):6-13. 10. BRASIL. Ministério Da Saúde. Centro de Atenção Psicossocial II – Álcool e drogas. 2011 [Acesso em: 04 jun. 2018]; Disponível em: http://www.criciuma.sc.gov.br/site/linkSecretaria/saude_sistemas/9/1. 11. BRASIL. Ministério Da Saúde. Centro de Atenção Psicossocial II - CAPS II. 2011 [Acesso em: 04 jun. 2018]; Disponível em: http://www.criciuma.sc.gov.br/site/sistema/saude/caps_ii-10 12. HO HD, Satur J, Meldrum R. Perceptions of oral health by those living with mental illnesses in the Victorian Community - The consumer’s perspective. International journal of dental hygiene 2018 May;16(2):e10-e6. 13. JAMELLI SR, Mendonça MC, Diniz MG, Andrade FBM, Melo JF, Ferreira SR, et al. Saúde bucal e percepção sobre o atendimento odontológico em pacientes com transtorno psíquico moradores de residências terapêuticas. Ciênc saúde coletiva 2010 jun.;15(supl. 1):1795-800. 14. BATISTA MJ, Perianes LB, Hilgert JB, Hugo FN, Sousa Mda L. The impacts of oral health on quality of life in working adults. Brazilian oral research 2014 28. 15. KEBEDE B, Kemal T, Abera S. Oral health status of patients with mental disorders in southwest Ethiopia. PloS one 2012 7(6):e39142. 16. CHALMERS J, Pearson A. Oral hygiene care for residents with dementia: a literature review. Journal of advanced nursing 2005 Nov;52(4):410-9.


Visualizações do PDF:

6 views


Visualizações do Resumo:

8 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
-->
Tema: Mpg. Customizado por: Articloud