Extenso ameloblastoma em mandíbula: relato de caso

Leonardo de Freitas Silva, Germano de Lelis Bezerra Junior, Pedro Henrique da Hora Sales, Raquel Bastos Vasconcelos, Ney Robson Bezerra Ribeiro, José Lincoln Carvalho Parente

Resumo

O ameloblastoma é um tumor odontogênico benigno, localmente agressivo, com predileção pela região posterior de mandíbula. Acredita-se que se origina de remanescentes do aparelho de formação dentária, semelhante ao desenvolvimento do órgão do esmalte. Não há clara preferência por gênero, sendo mais prevalente entre a terceira e quinta décadas de vida. O ameloblastoma tem sido classificado em quatro tipos: unicístico, sólido/ multicístico, desmoplásico e periférico. O tipo sólido pode apresentar algumas variantes histológicas, sendo as mais comuns a folicular e a plexiforme. Dentre as formas de tratamento, a excisão cirúrgica ampla com margens de segurança é o método de tratamento preferido. Recomenda-se um acompanhamento de mais de 10 anos com intervalos regulares após tratamento cirúrgico apropriado O objetivo deste trabalho é relatar o caso de um paciente portador de extenso ameloblastoma em região posterior de mandíbula, tratado a partir da ressecção da lesão com aposição de uma placa reconstrutiva do sistema lock. No momento, o paciente se encontra em acompanhamento pós-operatório de um ano sem sinais de recidiva. A partir deste trabalho pôde-se concluir que o tratamento realizado se mostrou adequado, no entanto um maior período de acompanhamento se faz necessário para indicar a cura do paciente

Palavras-chave

Ameloblastoma; Mandíbula; Tumores odontogênicos

Texto completo:

PDF

Referências

Dhanuthai K, Chantarangsu S, Rojanawatsirivej S, Phattarataratip E, Darling M, Jackson-Boeters L, et al. Ameloblastoma: a multicentric study. Oral surgery, oral medicine, oral pathology and oral radiology. 2012;113(6):782- 8. Bhandarwar AH, Bakhshi GD, Borisa AD, Wagh A, Kapoor R, Kori CG. Anterior mandibular ameloblastoma. Clinics and practice. 2012;2(1):e30. Black CC, Addante RR, Mohila CA. Intraosseous ameloblastoma. Oral surgery, oral medicine, oral pathology, oral radiology, and endodontics. 2010;110(5):585-92. Ide F, Mishima K, Miyazaki Y, Saito I, Kusama K. Peripheral ameloblastoma in-situ: an evidential fact of surface epithelium origin. Oral surgery, oral medicine, oral pathology, oral radiology, and endodontics. 2009;108(5):763-7. Barnes L, Eveson J, Reichart P, Sidransky D. World Health Organization classification of tumours: pathology and genetics of head and neck tumours. World Health Organization Classification of Tumours: Pathology and genetics of head and neck tumors. 2005. Rajaonarison Ny Ony N, Randriamarolahy A, Randrianjanahary OM, Ahmad A, Bruneton JN. Giant ameloblastoma. Clinical imaging. 2012;36(2):146-8. Santos Tde S, Piva MR, Andrade ES, Vajgel A, Vasconcelos RJ, Martins-Filho PR. Ameloblastoma in the Northeast region of Brazil: A review of 112 cases. Journal of oral and maxillofacial pathology : JOMFP. 2014;18(Suppl 1):S66-71. Singh M, Shah A, Bhattacharya A, Raman R, Ranganatha N, Prakash P. Treatment algorithm for ameloblastoma. Case reports in dentistry. 2014;2014:121032. Foster RD, Anthony JP, Sharma A, Pogrel MA. Vascularized bone flaps versus nonvascularized bone grafts for mandibular reconstruction: an outcome analysis of primary bony union and endosseous implant success. Head & neck. 1999;21(1):66-71. Gerressen M, Pastaschek CI, Riediger D, Hilgers RD, Holzle F, Noroozi N, et al. Microsurgical free flap reconstructions of head and neck region in 406 cases: a 13-year experience. Journal of oral and maxillofacial surgery : official journal of the American Association of Oral and Maxillofacial Surgeons. 2013;71(3):628-35.


Visualizações do PDF:

22 views


Visualizações do Resumo:

49 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
-->
Tema: Mpg. Customizado por: Articloud