Necessidade de tratamento odontológico e perfil de crianças atendidas na clínica de Odontopediatria de uma instituição de ensino superior do Rio de Janeiro

Eduarda Mendes Uchôa, Lucia Helena Raymundo de Andrade, Andrea Graciene Lopez Ramos Valente, Patricia Nivoloni Tannure

Resumo

O objetivo deste estudo é avaliar as necessidades de tratamento odontológico e conhecer o perfi l de crianças que buscavam pela primeira vez atendimento em uma Clínica de Odontopediatria de uma instituição de ensino superior do Rio de Janeiro. Foram avaliados prontuários de pacientes que procuraram atendimento odontológico no período de fevereiro de 2010 a julho de 2011. Somente pacientes que buscavam tratamento pela primeira vez foram incluídos no estudo. Foram coletados dados sócio-demográfi cos, história médica, motivo da primeira consulta, presença de hábitos parafuncionais, dieta alimentar, hábitos de higiene oral e as necessidades de tratamento. De um total de 142 crianças que receberam atendimento no período avaliado, 83 delas procuraram atendimento pela primeira vez e amostra fi nal foi composta por 73 prontuários. A faixa etária dos pacientes variou de 3 a 13 anos, sendo 50,7% do sexo masculino e saudável 76,7%. A maioria dos pacientes já havia recebido orientações sobre hábitos de higiene bucal por profi ssionais da saúde e educadores (46,5%). Em relação aos hábitos alimentares, 65,8% consumiam doces entre as refeições. Dentre as necessidades de tratamento, destacou-se a restauradora (54,8%), seguida de exodontias (28,8%). Quando avaliada uma possível relação entre a necessidade de tratamento odontológico e hábitos alimentares não foi observada associação signifi cativa (p>0,05). Não houve associação positiva entre hábitos bucais viciosos e necessidade de tratamento ortodôntico (p = 0,693). Diante dos resultados obtidos, conclui-se que pacientes que buscaram atendimento apresentaram um alto nível de doenças bucais não tratadas. Recomenda-se a realização de programas efi cazes de educação com relação à saúde bucal para crianças e seus cuidadores. Sugere-se um treinamento do corpo discente na orientação e motivação desses pacientes

Palavras-chave

Serviços de saúde bucal;Odontopediatria;Determinação de necessidades de cuidados de saúde.

Texto completo:

PDF

Referências

Petersen PE. Sociobehavioural risk factors in dental caries - international perspectives. Community Dent Oral Epidemiol 2005 Aug;33(4):274-9

Petersen PE, Kandelman D, Arpin S, Ogawa H. Global oral health of older people--call for public health action. Community Dent Health 2010 Dec;27(4 Suppl 2):257-67

Ribeiro AA, Leal L, Thuin R. Análise morfológica dos fi ssurados de lábio e palato do Centro de Tratamento de Anomalias Craniofaciais do Estado do Rio de Janeiro. Rev Dent Press Ortodon Ortop Facial 2007 out.;12(5):109- 18.

Bonecker M, Cleaton-Jones P. Trends in dental caries in Latin American and Caribbean 5-6- and 11-13-year-old children: a systematic review. Community Dent Oral Epidemiol 2003 Apr;31(2):152-7.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2012 [Acesso em Disponível em: http://bvsms.saude.gov. br/bvs/publicacoes/pesquisa_nacional_saude_bucal.pdf

Feitosa S, Colares V, Pinkham J. The psychosocial effects of severe caries in 4-year-old children in Recife, Pernambuco, Brazil. Cad Saúde Pública 2005 oct.;21(5):1550-6.

Petersen PE. The World Oral Health Report 2003: continuous improvement of oral health in the 21st century--the approach of the WHO Global Oral Health Programme. Community Dent Oral Epidemiol 2003 Dec;31 Suppl 1(3-23.

Fidalgo TKS, Soares FMM, Tannure PN, Pedro RL, Küchler EC, Costa MC. Dental treatment needs in children of a continuing education oral health program from Rio de Janeiro. Int J Dentistry 2011 10(3):122-55.

Brasil. Ministério da Saúde. Investimento em saúde bucal passa de 84 milhões para 238 milhões em 2004. Brasília: MS; 2004 [Acesso em Disponível em: http://www.saude.gov.br.

Brasil. Ministério da Saúde. Brasil sorridente. Brasília: Ministério da Saú- de; 2004 [Acesso em Disponível em: http://portal.saude.gov.br/saude.

Fernandes DSC, Klein GV, Lippert AO, Medeiros NG, Oliveira RP. Motivo do atendimento odontológico na primeira infância. Stomatos 2010 jun.;16(30):04-10.

Costa IMD, Maciel SML, Cavalcanti AL. Acesso aos serviços odontológicos e motivos da procura por atendimento por pacientes idosos em Campina Grande - PB. Odontol clín-cient 2008 out.-dez.;7(4):331-5.

Souza LA, Silva FMF, Tannure PN, Küchler EC, Motta LG, Costa MC, et al. Dental treatment needs among individuals with orofacial clefts. Int J Dentistry 2011 10(1):1-4.

Schou L, Wight C. Does dental health education affect inequalities in dental health? Community Dent Health 1994 Jun;11(2):97-100.

Travassos C, Martins M. Uma revisão sobre os conceitos de acesso e utiliza- ção de serviços de saúde. Cad Saúde Pública 2004 20(supl. 2):S190-S8.

DiMatteo MR, DiNicola DD. Achieving patient compliance: the psychology of the medical practitioner’s role. New York: Pergamon Press; 1982.


Visualizações do PDF:

173 views


Visualizações do Resumo:

293 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
-->
Tema: Mpg. Customizado por: Articloud